Colunas

A cabeça já não as une mais – por Carlos Costa

Carlos Costa - Foto: Divulgação
Redação I
Escrito por Redação I

Dois anos depois as crianças Maria Ysabelle e Maria Ysadora, que nasceram unidas pela cabeça, as tiveram separadas. A cirurgia que as separou, foi feita com êxito absoluto em um Hospital em Ribeirão Preto (SP). Fiquei pensando em quanto evoluiu a medicina nos últimos 12 anos. Com tamanha e surpreende evolução, talvez não tivesse sido submetido a 11 cirurgias seguidas no cérebro, de 2006;2009 e, possivelmente, também não teria viveria infectado por bactérias hospitalares e ainda poderia ainda estar sendo útil e produtivo, até hoje. Mas fui aposentado por invalidez em novembro de 2009!

Digo Farias usou o perfil em uma rede social para comemorar: “É com muita alegria que recebemos a notícia que nossas pequenas Maria Ysadora e Maria Ysabelle estão separadas”, postou. Ele também divulgou uma foto em que aparece ao lado da mulher e da equipe médica depois da separação da cabeça das filhas. Em nota, o HC informou que o procedimento durou aproximadamente 20 horas e transcorreu conforme o planejamento. Segundo o hospital, as pacientes respondem bem na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica, onde fui internado muitas vezes.

Emocionado com a evolução da medicina nos últimos 12 anos em que tomo 5 remédios diferentes, fiquei pensando se as cirurgias teriam sido necessárias, nas convulsões que passei a sofrer desde então, nas vezes em que fui colocado no carro de minha esposa ou em ambulância e transportado, ao Hospital mais próximo.

Carlos Costa – Foto: Divulgação

Das cirurgias a que fui submetido, duas foram realizadas em SP no Hospital São Joaquim, da Beneficência Portuguesa e 9 em Hospitais de Manaus. A primeira e a segunda realizadas pelo médico Roberto Vieira e segunda no Hospital PRONTOCORD as outras todas pelo neurologista DANTE LUIS GARCIA RIVERA, a quem também devo minha vida, junto com a infectologista Dra. Silvana Lima, pelo convênio da UNIMED. A O coma de 10 dias, 45 sem memória, ao ponto de não reconhecer nem a foto quem poderia ser seria o Carlos Costa Filho e mais 15 sem voz, balbuciando de torna incompreensível até para minha esposa. Ela chorava muito quando não conseguia nem reconhecer a todo do nosso filho em comum. Fiquei pensando se com a evolução tão rápida da medicina, será passaria por tudo isso? Pode ser que sim, mas pode ser que não! Quem sabe do nosso destino, além de DEUS?!

A infectologista Dra. Silvana Lima, se desligou do convênio, depois de mais de 9 anos me atendendo em diversos consultórios. Ela mudara, eu ia atrás. dela . Agora, aposentado pot invalidez não tenho mais dinheiro para pagar

Ninguém mais!

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.