A novidade na aliança entre Omar e Arthur, é Amazonino não ser candidato

Arthur e Omar com Bisneto de olho na conversa - foto: BNC

Não existe nenhuma novidade o prefeito Arthur Neto (PSDB) declarar apoio ao senador Omar Aziz (PSD). Os dois já vinham juntos desde as administrações passadas e só estavam fazendo cena e criando um clima de surpresa e de marketing favorável ao momento político.

Com Arthur se jogando nos braços de Omar, com direito a trocas de ‘cartinhas’ e declarações de fidelidade eterna, a surpresa, no entanto, será o governador Amazonino Mendes (PDT), resolver abandonar a pré-candidatura e apoiar outro candidato mais para as esquerdas, fora do ‘blocão’ formado por jurássicos da política do Estado. Amazonino está se sentindo traído pelos parceiros e crias políticas.

Arthur e Omar com Bisneto de olho na conversa – foto: BNC

Ontem (23) depois do anúncio do Arthur, Amazonino passou toda a tarde conversando com os Calderaros, donos do grupo A Crítica de comunicações. Dessa conversa, provavelmente, pode sair a indicação do apresentador Wilson Lima (PSC) a vice de sua própria chapa ou de quem ele apoiar. O teor da conversa não foi revelado, mas, certamente, Amazonino quer um vice de confiança, que não seja nos moldes de Rebecca Garcia (PP) e, que de alguma maneira, possa dar sequência ao seu legado de 20 anos.

Constrangimento

Amazonino está se sentindo isolado e irritado com a decisão da executiva nacional do PDT, de não homologar a sua candidatura antes da convenção partidária no Amazonas, e deve tomar uma decisão antes da convenção partidária, no próximo dia 28. Ele deve ir para o revide, ou retoma o partido via Stones Machado, ou se rebela e retira sua candidatura. O Stones está em maus lençóis, terá que reconquistar o partido para Amazonino ou ver o chefe amargar a primeira derrota antes da apuração das urnas.

Para muitos, no entanto, as intrigas e desavenças dos caciques, é pura encenação. É o teatro sendo montado para medir a temperatura e a aceitação do grupo, que vinha amargando pouco mais de 6% das intenções de votos, entre os eleitores pesquisados nas últimas semanas.

Contudo, a aliança entre Omar, Arthur, Alfredo Nascimento (PR), Amazonino, Silas Câmara (PRB), Pauderney Avelino (DEM), Átila Lins (PP) e outros jurássicos, é o melhor que poderia acontecer nessas eleições. Mostra quem são e para onde vão os velhos e antigos caciques e abre espaço para uma nova perspectiva de mudança na política no Amazonas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui