Amazonas Cidades

Ações no combate ao H1N1 são intensificadas em Manaus

23 unidades de saúde fazem o atendimento e dispensação do antiviral/Foto: Semcom
Avatar
Escrito por Redação II

Após os dados divulgados pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) que apontou cerca de 17 óbitos no Amazonas por conta do vírus H1N1, a prefeitura de Manaus intensificou as medidas de contingenciamento para o controle no avanço dos casos mais graves de Síndromes Gripais.

Conforme o último boletim, na capital amazonense, já foram registrados 371 casos notificados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), dos quais 28 evoluíram para óbito. Do total de mortes, 17 foram ocasionadas pelo vírus H1N1, três por Vírus Sincicial Respiratório (VSR) e outros seguem em investigação, aguardando confirmação laboratorial.

Entre as ações adotadas pela prefeitura, a primeira foi a delas foi a solicitação ao Ministério da Saúde, por meio da bancada federal, de antecipação da campanha de vacinação contra a Influenza, ainda para este mês de março.

23 unidades de saúde fazem o atendimento e dispensação do antiviral/Foto: Semcom

A implantação de 23 unidades básicas de saúde de referência para o atendimento e dispensação do antiviral em todas as zonas de Manaus, foi outra ação imediata. A cobertura inclui a área terrestre e fluvial da cidade, distribuídas geograficamente da seguinte forma, sendo cinco na zona Leste; quatro na zona Norte; três na zona Sul; duas na zona Oeste; nas duas unidades móveis fluviais e sete na zona rural terrestre. Todas foram abastecidas com o antiviral.
Também foi elaborado o Guia de Manejo da Síndrome Gripal na Atenção Primária à Saúde; emitido comunicado à rede de saúde, que foi encaminhado a todos os Distritos de Saúde, reforçando as recomendações para o atendimento de casos de Síndrome Gripal nos serviços da rede municipal, alertando sobre os fatores de risco e o atual cenário epidemiológico da cidade de Manaus.

Foi providenciado também um reforço no atendimento nas unidades de saúde, em especial nas 10 unidades de horário ampliado, com a finalidade de garantir que as ações de monitoramento, diagnóstico e tratamento sejam realizadas em momento oportuno, evitando o agravamento da doença e reduzindo as chances de transmissão entre a população.

Além disso, os profissionais de saúde da Maternidade Dr. Moura Tapajóz receberam atualizações para o manejo clínico das gestantes suspeitas de SRAG, e a equipe de vigilância epidemiológica está realizando a investigação, acompanhamento e adoção de medidas de controle de todos os casos notificados.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário