Amazonas Economia

ADS movimenta mais de R$ 3 milhões em movelarias no interior do AM

Foto: Divulgação/ADS
Avatar
Escrito por Redação II

A produção de móveis, como mesas, armários e quadros brancos, para equipar escolas públicas da Rede Estadual de Ensino tem gerado emprego e renda para o setor madeireiro no interior do Amazonas. Por meio do Programa de Regionalização do Mobiliário Escolar (Promove), executado pela Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS) em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), mais de 35 iniciativas amazonenses forneceram esses produtos ao longo de 2018. O pagamento total das cotas foi concluído na atual gestão, movimentando R$ 3.592.775,00 em recursos.

Em visita ao sul do Amazonas, o presidente da ADS, Flávio Antony Filho, visitou as movelarias credenciadas ao Promove em dois municípios. Só em Humaitá, a empresa Ferrazo & Ferrazo LTDA foi responsável pelo fornecimento de 769 itens do mobiliário escolar no ano passado, totalizando mais de R$ 400 mil. Já em Lábrea, a Associação dos Pequenos Moveleiros de Lábrea (Apmol) forneceu 307 mobiliários para as escolas públicas em 2018, movimentando R$ 194.375,00.

A passagem da equipe técnica da ADS aos municípios e o diálogo com a classe moveleira evidenciaram algumas demandas relacionadas à logística e ao transporte dos mobiliários, que o setor vem enfrentando nos últimos anos.

“No interior do Estado, a logística de envio dos móveis para as escolas se dá, principalmente, por meio dos rios. Vimos que hoje são os próprios marceneiros, fornecedores e empresários que estão arcando com os custos de carregamento de dezenas de móveis até às balsas. Essa foi uma das demandas apresentadas e que já está sendo encaminhada para providências”, ressalta o presidente da agência, Flávio Antony Filho.

Foto: Divulgação/ADS

Durante as audiências públicas realizadas nos dois municípios, o setor moveleiro solicitou que fossem revistas a tabela de preços praticados para a compra dos produtos e a distribuição das cotas para as organizações credenciadas, uma vez que o sul do Amazonas tem como uma das principais potencialidades a cadeia produtiva da madeira. Em Lábrea, a atividade madeireira é a segunda que mais gera empregos no município, ficando atrás apenas da atividade de pesca. Os madeireiros da região atuam sob o Plano de Manejo Florestal Sustentável de Pequena Escala, licenciado pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam).

Fomento à cadeia produtiva da madeira – Neste ano, a ADS ampliou a parceria do Promove e vai atender também as escolas públicas municipais da capital, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed). O recurso disponibilizado em 2019 é de R$ 5 milhões por parte da Seduc e R$ 3 milhões da Semed, totalizando R$ 8 milhões para aquisição de móveis escolares oriundos de pequenas movelarias na capital e no interior.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.