Alvarães recebe Feira do Pirarucu neste fim de semana

Manejo do pirarucu é realizado há 20 anos na região/Foto: Bernardo Oliveira

Hoje em dia, a carne do amazônico pirarucu (Arapaima gigas) é reconhecida e valorizada por chefs internacionais de todo o mundo. Muito antes, entretanto, o maior peixe de escamas de água doce do mundo já fazia parte da vida e da alimentação das populações nas regiões ribeirinhas onde ele ocorre.

O município de Alvarães, no estado do Amazonas, recebe nos dias 5 e 6 de outubro a 12ª Feira do Pirarucu Manejado.

O evento traz o pescado sustentável aos moradores da cidade de Alvarães, município próximo à Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, unidade de conservação onde, há 20 anos, foi implementado pioneiramente o plano de manejo que permitiu a recuperação populacional da espécie que chegou a ter sua pesca proibida pelo risco de extinção local na década de 1980.

A feira vai acontecer na Feira do Produtor Local, no centro da cidade, e na Orla da Comunidade Nogueira.

Pesca do pirarucu é realizada na região de forma sustentável/Foto: Amanda Lelis

Serão 50 comercializados na Feira e 20 na Orla da Comunidade Nogueira, totalizando 70 pirarucus. As vendas devem iniciar às 7h nos dois dias e os valores variam de R$3 o quilo da carcaça a R$10 a carne e o lombo do pescado.

O pirarucu posto à venda é resultado da pesca sustentável realizada pelos pescadores do Acordo de Pesca do Setor Jurupari, que conta com a assessoria técnica do Programa de Manejo de Pesca do Instituto Mamirauá, organização social fomentada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

“A feira uma forma de compartilhar os resultados do trabalho de conservação dos recursos pesqueiros na região”, define Ana Cláudia Torres, coordenadora do Programa de Manejo de Pesca do Instituto Mamirauá.

A 12º Feira de Pirarucu Manejado tem financiamento do Banco da Amazônia e conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Alvarães, IDAM, Sindicato de Pescadores de Alvarães, Colônia de Pescadores Z-23 de Alvarães, DEMUC/SEMA, Fundação Amazonas Sustentável (FAS), Polícia Militar de Alvarães e Sebrae.

Evento com pescado sustentável tem financiamento do Banco da Amazônia/Foto: Amanda Lelis

Manejo do pirarucu

Implementado há 20 anos na região, o Plano de Manejo do Pirarucu permitiu que centenas de comunidades ribeirinhas alinhassem a pesca realizada tradicionalmente pelas populações com a conservação da espécie, que se encontrava ameaçada na principalmente pela invasão de barcos pesqueiros ilegais na região.

O programa de manejo estabelece critérios como cota, tamanho mínimo e período de defeso para a pesca do peixe, respeitando o ciclo reprodutivo da espécie e mantendo-a fora de perigo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui