Armação, fake news, farsa: do que mais a coligação adversária é capaz?

Querem transformar o traficante ‘Didi’, no novo Nair Blair do Amazonas - foto: Cm7

Outra vez a história de compra de votos, por traficantes, a mando de um suposto candidato, entra no noticiário e na justiça do Amazonas como sendo a verdade mais ‘nua e crua de uma politicagem corroída pela ganância e inconformismo’ de um grupo político prestes a ser derrotado nas urnas pela vontade popular.

Foi assim em 2014, quando o governador José Melo (Pros), foi acusado de compra de votos de traficantes enclausurados na Penitenciária, para ganhar a eleição. Posteriormente, apareceu o caso Nair Blair. A ‘dama malvada’, que foi descoberta como agente infiltrada na campanha do governador, que terminou cassado por um escândalo até hoje não comprovado.

Querem transformar o traficante ‘Didi’, no novo Nair Blair do Amazonas – foto: Cm7

A farsa atual

É inconcebível que um candidato, que tem mais de 30% de vantagem nas intenções de votos, comprovados por todos os institutos de pesquisas do Amazonas e do Brasil, destine apenas R$ 12 Mil, a um traficante para a compra de votos.

Só a ‘cabeça doentia’ de uma política desgastada pelo tempo. Corroída pela falta de capacidade gerencial do Estado e apodrecida nas bases, é capaz de montar uma farsa dessa, onde a palavra de um marginal vale mais que a dignidade de pessoas decentes, pais de família, senhores defensores da Lei.

O traficante

O Diellisom Weendril Alves Pinheiro, conhecido por ‘Didi’, o traficante apontado como o chefe de organização, teria sido induzido a falar, a troco não se sabe de que, que o dinheiro encontrado com ele, teria sido dado pelo candidato Wilson Lima, para compra de votos.

Diellisom ou, Didi, foi preso com várias armas e R$ 12 Mil. Supostamente, esse dinheiro e as armas é fruto da arrecadação com a venda das drogas, mas foi usado para levar a crer que o montante encontrado com ele faria parte de uma soma entregue para a compra de votos.

Barriga de aluguel

Como foi escrito no site Cm7, historias de mulher que foi assediada, mulher traída e casos amorosos dos candidatos ninguém acredita mais. Nem filho de barriga de aluguel, que aparece para reivindicar paternidade. Tudo isso já foi motivo para adversários em campanha usar contra os que estão na liderança de pesquisas.

Não convence mais

Agora apareceu um traficante com uma bolada de R$ 12 Mil dizendo que era pra comprar votos do candidato mais bem avaliado, ao governo. A pergunta é: traficante tem voz pra mudar o voto de 70% da população Amazonense? Será que quatro milhões de Amazonenses mudariam seu voto pela palavra duvidosa de um criminoso?

Estamos vivendo momentos que a fome pelo PODER ultrapassa as regras do jogo e o bem da população, chegando ao extremo do ridículo de colocar a vontade do povo e o desejo de mudança de 70% da população em um depoimento duvidoso de um ‘traficante.’

É lamentável a capacidade maligna de um político rejeitado pela população. É triste de se ver no que a política do Amazonas se transformou. VERGONHA!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui