Arthur Neto não está conseguindo negociar a greve dos Rodoviários

Sem controle, Arthur transfere responsabilidade da greve para o TRT resolver - foto: BNC

O prefeito Arthur Neto (PSDB) não está conseguindo segurar os empresários na mesa de negociação. Em duas reuniões entre os empresários, o executivo e Sindicalistas, os empresários se levantaram e abandonaram a sala de reunião. Sem acordo, a greve entra no seu terceiro dia, nessa quinta feira (31), possivelmente, com a frota mais reduzida do que nos dois últimos dias.

Diretores do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Manaus informaram que não estão ‘nem um pouco preocupados com as ameaças do prefeito Arthur Neto (PSDB)’, de determinar prazo de 24 horas para a greve chegar ao fim, nem com intimidação de filas nas portas das garagens para reposição dos empregos e nem com as multas pedidas pela Procuradoria do Município à Justiça do Trabalho.

Sem controle, Arthur transfere responsabilidade da greve para o TRT resolver – foto: BNC

“A categoria já chegou ao máximo do sacrifício e uma multa a mais ou a menos, não vai fazer diferença nenhuma”, assinalou o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Givancir de Oliveira, que já perdeu as contas do número de multas, bloqueio de contas bancárias e ameaças de mais punições financeiras para o Sindicato que só está lutando por direitos dos Trabalhadores.

Agora, é hora do prefeito Arthur Neto (PSDB) pressionar os empresários, que abandonam a mesa de negociação sempre que são pressionados a pagar os reajuste dos salários e os aproximadamente R$ 13 Milhões de dívida com os Rodoviários, continuou Givancir, que também lembrou dos R$ 200 Mil de multa por hora (R$ 4.8 Milhões/dia), estipulado pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), na tarde do dia 29, para forçar o Sindicato a terminar a greve.

Mudanças indevidas

Givancir disse que não tem como terminar uma greve sem que os empresários concordem com a dívida e o reajuste salarial referente aos dissídios coletivos de 2016/2017 e o de 2018/2019. Ele também quer que os empresários tirem da pauta da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), as mudanças da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), votada recentemente no Congresso.

Sem acordo

Por falta de acordo, os rodoviários continuam em greve, podendo surpreender a todos, prefeito, empresários e população, com uma greve 100%, nessa quinta feira (31).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui