Avaliação científica sobre os ecossistemas da Amazônia já está disponível para consulta

Foto: Divulgação / Rhisa

Salvar e conservar a Amazônia é o propósito do Relatório do Painel Científico para a Amazônia, um compilado sobre os sistemas ecológicos da maior biodiversidade do mundo, produzido a partir da contribuição científica de mais de 200 pesquisadores, dentre eles, os professores Henrique Pereira e Tatiana Schor, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), além de Philip Fearnside e Sonia Alfaia, ambos do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA).

O Painel é uma iniciativa da Rede de Soluções Sustentáveis da ONU e que reúne um arcabouço científico envolvendo diversos aspectos sociais, econômicos, políticos e ambientais sobre a Amazônia e que agora encontra-se na fase de consulta pública.

Ponto focal da Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (SDSN Amazônia) na Ufam, o professor Henrique Pereira destaca que a conservação, a diversidade biológica, a regulação climática e como tudo isso está relacionado aos desafios da sustentabilidade da Amazônia são a tônica do Relatório.

O documento é o primeiro realizado para toda a Bacia Amazônica e seus biomas e tem a missão de solicitar que governos, empresas, sociedade civil e todos os habitantes do planeta implementem suas recomendações e atuem de forma conjunta pela conservação e desenvolvimento de uma Amazônia efetivamente sustentável.

“Queremos mobilizar a sociedade, as autoridades, os governos, as instituições para que possam colaborar com essa discussão que é tão importante para a sustentabilidade da nossa região”, enfatizou o professor Henrique Pereira que também coordena o Atlas do Desenvolvimento Sustentável do Estado do Amazonas, o qual monitora as 175 metas dos 17 objetivos do desenvolvimento sustentável para os municípios do Amazonas.

O relatório considera 10 ações como ponto-chave para salvar a Amazônia, entre eles a intocabilidade da soberania da Amazônia, a prioridade aos direitos dos povos que habitam a região, a adoção de soluções baseadas na ciência, o monitoramento em tempo real, uma economia sustentável e eficiente, produção sustentável com responsabilidade, restauração urgente da floresta, uso de novas tecnologias e a certeza de que os povos indígenas são os verdadeiros guardiões da floresta.

Na esteira da conservação, o relatório defende a gestão com base em evidências científicas, o completo cessamento de incêndios florestais, o fim ao desmatamento e mudanças no uso da terra, o financiamento de agências fiscalizadoras, a revisão do impacto ambiental dos projetos de infraestrutura, o fortalecimento dos códigos e padrões florestais, o financiamento internacional em larga escala para o desenvolvimento de pesquisa, inovação, conservação, restauração, manejo, a proteção aos povos e comunidades indígenas, a certificação das cadeias de suprimentos e a expansão do monitoramento científico.

O conteúdo do Relatório do Painel Científico para a Amazônia, está distribuído em 34 capítulos que podem ser acessados no site  www.aamazoniaquequeremos.org. no link https://www.theamazonwewant.org/Chapters-in-.

No momento, o material encontra-se na versão inglês, mas já a partir de 10 de agosto, estará disponível também em português e espanhol.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui