‘Caravana da Cidadania’ chega às escolas públicas da zona Leste de Manaus

Caravana apresentada a gestores de escolas/Foto: Pedro
Caravana apresentada a gestores de escolas/Foto: Pedro
Caravana apresentada a gestores de escolas/Foto: Pedro Braga
Coordenadores participam do evento com gestores/Foto: pedro
Coordenadores participam do evento com gestores/Foto: Pedro Braga

Sessenta escolas públicas municipais e estaduais da zona Leste de Manaus, serão atendidas na segunda etapa do Caravana da Cidadania nas Escolas e Comunidades, programa realizado pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), para prevenir a criminalidade nas unidades de ensino, com lançamento próxima sexta-feira (23).

Na tarde de ontem (19), o programa foi apresentado a gestores das escolas envolvidas, para que conheçam as ações que serão realizadas por meio de servidores das polícias Civil e Militar, Ronda no Bairro, programa social Previne e secretarias estadual e municipal de Educação (Seduc e Semed).

De acordo com o secretário de Segurança Pública, coronel PM Paulo Roberto Vital, o projeto envolve alunos, gestores, professores, pais e a comunidade de cada região da capital. A primeira etapa consiste de palestras e encontros sobre temas como Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), doenças sexualmente transmissíveis, bullyng, violência doméstica e sexual, tráfico de pessoas e outros.

Na segunda fase são realizadas programações esportivas e de lazer para os estudantes e as comunidades da região.

Em paralelo às ações de cunho preventivo, o Caravana das Escolas também age repressivamente. “Nossos policiais estarão acompanhando as ocorrências policiais na área de atuação e fazendo uma varredura para evitar crimes como o tráfico de drogas, uma das nossas principais preocupações quando o assunto é o ambiente escolar”, disse o coordenador-geral do programa e secretário-adjunto da SSP-AM, delegado Francisco Sobrinho.

Segundo ele, na primeira fase do programa, na zona Sul, o Caravana das Escolas causou forte impacto na comunidade porque tirou jovens da criminalidade e evitou que muitos fossem cooptados para a prática de crimes. “É um projeto importante porque traz uma reflexão sobre os problemas da comunidade e das escolas”, disse Sobrinho.

O coordenador destacou também que o Caravana das Escolas melhorou o ambiente escolar porque afastou pessoas que ameaçavam até o trabalho dos professores, que se sentiam acuados para cumprir suas obrigações. Na zona Sul, várias prisões foram efetuadas pela Força-Tarefa da SSP-AM a partir de denúncias de estudantes, professores e de cidadãos para o Disque 181.

Fotos: Pedro Braga

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui