Carijó reassume cargo de vereador fazendo balanço de suas atividades políticas

Luis Alberto Carijó reassume cadeira de vereador/Foto: Tiago Correa

No  primeiro pronunciamento na tribuna da Câmara Municipal de Manaus (CMM), na manhã de ontem, segunda-feira (21), após retornar ao cargo de vereador, Luis Alberto Carijó (PSDB), em tom de despedida, fez um balanço sobre os três mandatos como vereador de Manaus, onde passou duas vezes pela presidência do Poder Legislativo, atuou como líder do prefeito e, em curto período, assumiu a Prefeitura de Manaus. Carijó não concorreu à reeleição municipal deste ano.
“É com grande prazer que retorno a essa Casa, para cumprir o final dessa legislatura, me despedir desse Poder e dos nobres companheiros que aqui estão, nos quais tenho amizade, respeito e companheirismo. E aos servidores que aqui sempre me trataram com respeito, e acima de tudo com muito amor e carinho. Eu não poderia deixar de vir a esse Parlamento me despedir”, afirmou.

Luis Alberto Carijó reassume cadeira de vereador/Foto: Tiago Correa
Luis Alberto Carijó reassume cadeira de vereador/Foto: Tiago Correa

O parlamentar destacou sua contribuição ao parlamento e à cidade de Manaus durante sua vida política no município, e pontuou as dificuldades em se administrar uma cidade como Manaus. “Como é difícil administrar uma cidade como Manaus, que tem uma população muito pobre, com mais de 70% ganhando menos de dois salários mínimos, com cerca de 85% morando na periferia. E esta Câmara Municipal fez e trouxe importantes contribuições não somente para o Parlamento em si, para sua transparência e ética, mas para a cidade”, ressaltou.

Carijó, ainda, ressaltou sua participação em importantes discussões no Parlamento Municipal, como o projeto que colocou fim ao voto secreto. “Também de minha lavra o fim do voto secreto nesse Parlamento, que lá atrás não tinha precedentes no Brasil, e foi acompanhado, depois, por parlamentos de outras cidades do Brasil. Manaus teve a primazia de abolir o voto secreto, um grande avanço no processo democrático interno e externo. Assim como a Lei da transparência total, um ano antes da lei federal, que agora é a regra em todos os órgãos públicos”, lembrou.

Ele, também, informou que continuará a fazer política, mesmo não tendo um cargo público. “Aqui não encerro minha participação política, encerro a minha função parlamentar neste nobre Poder, que tive a honra e a satisfação, de junto com os vereadores, representar o povo de Manaus, por mais de três vezes, e como presidente por duas vezes. Na minha consciência me sinto com o dever cumprido. Na verdade, o mandato, assim como a vida, é passageiro, e tem uma missão, como parlamentares desse Poder, que é fazer o bem com os nossos atos, políticas e as leis”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui