Caso Sabino: ainda tem muito por ser explicado

Deputado Sabino Castelo BRanco no seu programa programa que apresenta na Band Amazonas.

A transferência de Sabino Castelo Branco teria ocorrido às 4 horas da madrugada, dessa terça feira (15) longe da imprensa e, já se encontrava no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, quando uma ambulância saiu do hospital, às 9 horas, do Centro de Manaus rumo ao aeroporto.

A informação veio por acaso, durante uma entrevista feita por repórteres da TV A Crítica, com Vera Castelo Branco, ex-exposa de Sabino Castelo Branco.

Deputado Sabino Castelo Branco no seu programa, que apresenta na Band Amazonas – foto: Amazonas+

Durante a entrevista, Vera deixou escapar que a transferência do deputado teria acontecido na madrugada, por volta das 4 horas da manhã. Contradizendo as informações de outros membros da família, do diretor do hospital da Samel e de parte da imprensa manauara. Ela comentou que o vereador Reizo Castelo Branco acompanhou o pai na viagem ainda na madrugada.

Estranha também é a forma como um radialista de Manaus vem tratando o caso, quase uma defesa do indefensável. Ele insiste em dizer que foi um AVC hemorrágico. Acontece que o deputado estava todo ensanguentado, quando chegou ao Hospital, carregado por seus seguranças, apavorados e aos gritos de socorro.

Chegada à Samel

Na noite de domingo (13), um amigo do site, que estava levando uma pessoa importante de Manaus para visitar o seu pai, que está internado naquela unidade da Samel, da Joaquim Nabuco, conforme foi noticiado pelo portal, presenciou toda a cena involuntariamente.

Ele ligou para o portal, no momento da chegado e, quase conseguiu tirar fotos. Segundo o nosso internauta, Sabino estava todo banhado de sangue talvez provocado por disparo de arma de fogo. O que não é característica de uma AVC Hemorrágica. O sangramento nesse caso, é interno. A fonte não soube dizer se o sangue também poderia ser provocado por “uma surra” dada por seus desafetos.

Acontece que Sabino Castelo Branco vinha colecionando inimigos, sendo jurado de morte por facções criminosas, o ex-namorado da estudante Mariana Castilho, que jurou dar uma surra em Sabino assim que o visse.

Com tantos desafetos, certamente, quiseram transferí-lo às escondidas para evitar, talvez, um ataque das facções à ambulância. Mas até agora, o caso está cercado de mistério, desmentidos e informações distorcidas. O que tanto se esconde, desse caso?

Com informações do portal OLM.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui