Central do Programa de Nutrição Infantil estimula criação de hortas

A ação desenvolvida foi possível em função da parceria com a Semmas - Foto: istock.com / gvl

A Prefeitura de Manaus, por meio das ações da Central de Atendimento do Programa de Nutrição Infantil “Leite do Meu Filho”, está incentivando as famílias participantes do programa ao cultivo de hortas caseiras como forma de orientá-las à alimentação nutricional e saudável. Na manhã de ontem sexta-feira, 26/4, na sede da central, situada na avenida Pedro Teixeira, zona Oeste, foram distribuídas mudas de plantas medicinais e frutíferas aos responsáveis pelas crianças, após palestras realizadas pela farmacêutica Mie Muroya, da coordenação do Projeto de Plantas Medicinais e Fitoterápicas, da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

A ação desenvolvida foi possível em função da parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmas). As mudas distribuídas aos segurados do programa “Leite do Meu Filho”, atendendo aproximadamente 20 mil famílias cadastradas no município de Manaus, foram obtidas junto à produção do Horto Municipal. A atividade, segundo a coordenadora técnica do programa de nutrição infantil do município, Elenice Malojo, servirá de base ao estímulo e planejamento de criação da horta, que ocupará a área dos fundos da central.

“Quando estiver produzindo, a nossa horta servirá de espaço educativo aos entes parceiros e à população. E nossa ideia é, mais tarde, avançar para criação de uma feira de produtos orgânicos. Com esse objetivo já iniciamos conversas, além da parceria do Horto Municipal, com representantes da Secretaria de Produção Rural do Amazonas”, observa o assistente social e membro da comissão do programa, Daniel Leandro.

A ação desenvolvida foi possível em função da parceria com a Semmas – Foto: istock.com / gvl

Fitoterápicos

Em fase de conclusão das medidas de cooperação técnica com a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a Semsa deverá implantar e implementar, ainda neste ano, as ações do Projeto de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. Voltado à pesquisa e seu uso junto à população, o projeto será uma referência à produção de medicamentos fitoterápicos na Amazônia. Segundo Mie Muroya, o projeto deverá funcionar em um dos blocos que compõem a Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF), no campus da Ufam, Coroado, zona Leste.

Os medicamentos fitoterápicos são definidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) como aqueles obtidos a partir de derivados vegetais, cujos riscos, os mecanismos de ação e onde atuam no corpo humano são conhecidos. Esses medicamentos são feitos exclusivamente de matéria-prima vegetal. É importante destacar que não é considerado um fitoterápico aquele medicamento que contém substâncias ativas isoladas, bem como sua associação com extratos vegetais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui