Centro Cultural dos Povos da Amazônia é opção para visitação nas férias

Filhos da nossa terra/Foto: Michael Dantas/SEC

O CCPA abriga o Museu do Homem do Norte, as bibliotecas Mário Ypiranga Monteiro e Arthur Reis; e espaços que visam inserir o visitante na realidade amazônica, como as Casas do Caboclo e da Farinha.

Para quem deseja curtir as férias de janeiro conhecendo mais sobre a cultura e diversidade amazônica, o Centro Cultural dos Povos da Amazônia (CCPA) oferece um roteiro recheado de exposições gratuitas sobre a cultura, história e economia da região. Atualmente, o local está aberto para visitações gratuitas de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

A visita guiada tem um tempo médio de 1h45. Oito guias turísticos apresentam o espaço em línguas como o português, espanhol e inglês, além de Libras (Linguagem Brasileira de Sinais). Confira o que você pode conhecer no Centro Cultural dos Povos da Amazônia!

Praça das Bandeiras – O centro cultural localizado na Praça Francisco Pereira da Silva (antiga Bola da Suframa), no Distrito Industrial, tem como objetivo valorizar, difundir, fomentar projetos de pesquisa e tornar conhecidas as informações sobre os nove países que formam a Amazônia Continental: Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname, Venezuela e a Guiana Francesa, cujas bandeiras estão expostas na “Praça das Bandeiras”.

Espaço Rio Amazonas – Com um corredor em forma de túnel que estampa a imagem de um mapa do rio Amazonas, o espaço abriga a exposição “Filhos de nossa Terra”, com 19 esculturas feitas pelo artista Felipe Letterstten como homenagem a povos distintos do continente americano.

Ao olhar para cima, o visitante percebe que o teto é formado por uma cúpula de 15 metros de altura e 11 metros de diâmetro, feita de 36 tupés tecidos com fibras de arumã, que foram confeccionados por artesãos de Novo Airão (distante 198 quilômetros de Manaus).

Filhos da nossa terra/Foto: Michael Dantas/SEC

Exposição ‘Bestiarii Venatio Animalia’ – Criada pelo artista amazonense Turenko Beça, a exposição reúne 11 esculturas coloridas que representam animais amazônicos como o peixe-boi e o jabuti. Também são representados animais que fazem parte de lendas amazônicas, como o boto cor de rosa.

Museu do Homem do Norte – Durante a visita ao Museu do Homem do Norte, você pode conhecer mais sobre o boi-bumbá, indígenas, arqueologia e rituais amazônicos. O lugar conta também com o Cine Silvino Santos, criado em homenagem ao famoso fotógrafo e onde são exibidos filmes e documentários sobre a região.

Bibliotecas Mário Ypiranga Monteiro e Arthur Reis – Formadas por doações de familiares das duas personalidades amazonenses, Mário Ypiranga Monteiro e Arthur Reis, as bibliotecas contam, ao todo, com 34 mil obras disponíveis para pesquisas locais. Mensalmente, cerca de 20 pesquisadores visitam o local em busca de documentos, revistas, jornais e folhetins históricos.

Para a gerente do Centro Cultural dos Povos da Amazônia, Maria Nazarene Maia, o fato de o local apresentar diversas opções para visitação diferencia o CCPA de outros pontos turísticos. “Este é um espaço totalmente diferente dos demais porque ele funciona como um lugar de pesquisa, museu e centro cultural, e abriga duas bibliotecas. É completo, gratuito e totalmente à disposição pública”.

Realidade amazônica – Outro destaque do CCPA é o Espaço de Referência Cultural do Amazonas (Ercam), que reúne ambientes que visam inserir o visitante na realidade amazônica. Todos fazem parte da visitação gratuita e chamam a atenção de quem passa pelo local.

A Casa do Caboclo – Com o intuito de fazer o público conhecer a realidade do caboclo amazonense, a réplica de uma casa de ribeirinho foi montada na parte de fora do Centro Cultural. O local é feito de madeira e conta com itens como a confecção da cozinha e iluminação adaptadas ao estilo de vida do caboclo morador das margens de rios.

Xapono Yanomami – Esta é uma oportunidade para o visitante que deseja conhecer o modo de morar do povo Yanomami sem precisar sair da cidade. O local é montado como réplica de uma casa indígena, usada para abrigar de 40 a 300 indivíduos, aproximadamente.

Casa da Farinha, Tapiri de Defumação da Borracha e Tapiri do Seringueiro – Todos estes espaços retratam momentos e lugares do período áureo da borracha. O processo de produção da farinha, defumação da borracha e local onde dormiam os seringueiros são mostrados pelos guias que retratam de maneira prática o período.

Michael Dantas/SEC
Brracão do guaraná/Foto: Michael Dantas/SEC

Barracão do Guaraná – O lugar possui a réplica de uma máquina de produção do guaraná dos índios Sateré Mawé, feita em tamanho original e trazida do município de Maués (a 258 quilômetros de Manaus) para a capital. Os principais refrigerantes de guaraná da região Norte também são expostos no barracão.

Além dos espaços citados, o CCPA conta com muitas outras opções culturais. “As pessoas que passam por aqui por fora e ainda não visitaram, nem imaginam a diversidade que podem encontrar em um lugar como esse. É um lugar muito rico culturalmente”, pontua Maria Nazarene.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui