CIGS recebe homenagem na Assembleia pelos seus 50 anos

Homenagem aos 50 anos do CIGS/Foto: Divulgação

Homenagem aos 50 anos do CIGS/Foto: Divulgação

Os 50 anos de atividades do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), foram celebrados hoje, quinta-feira (27), com homenagem na Assembleia Legislativa do Amazonas, em uma Sessão Especial de autoria do deputado estadual Tony Medeiros (PSL), que fez a entrega da placa ao major Alfredo José Ferreira Dias, comandante da corporação militar.

 

O presidente do CIGS devolveu a homenagem com placas aos deputados Tony Medeiros e o presidente da Aleam em exercício, Belarmino Lins (PMDB), que dirigiu a Sessão de homenagem. Outra placa entregue pela Assembleia foi ao Comandante Militar da Amazônia (CMA), general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, que na Sessão foi representado pelo general de brigada Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira.

Para Tony Medeiros, o Centro de Instrução de Guerra na Selva tem sido um dos mais importantes agentes no desenvolvimento da “estratégia de resistência” do Exercito Brasileiro, para uma eficiente defesa das fronteiras desta região. O deputado disse que o CIGS vai muito além de um centro de referência no preparo de combatentes de selva, pois lá é feito também estudos da fauna e a manutenção de um zoológico que contribui com a educação dos jovens e no roteiro turístico de Manaus.

O deputado Belarmino Lins ressaltou a presença firme e determinada do Exército em defesa da Amazônia, agradecendo a presença dos integrantes da instituição militar no parlamento amazonense. Os deputados Marco Antônio Chico Preto (PMN) e Washington Regis (PMDB) também se manifestaram, destacando a importância do CIGS que possui um valor estratégico para a região, uma referência para o mundo em termos de combate em selva. “Oficiais de outras forças armadas vêm para cá aprender com os homens do Exército Brasileiro”, disse Chico Preto.

Projeção nacional

Segundo o major Alfredo José Ferreira Dias, em 50 anos o centro formou 5,6 mil guerreiros de selva, entre eles 440 estrangeiros, completando assim projeção nacional e internacional como um polo difusor da doutrina militar de operações na selva. “O CIGS mantém um campo de instrução com cerca de 1.150 km de metros quadrados de área inteiramente preservada, onde funciona o zoológico”, informou, ressaltando ser o local um dos pontos turísticos mais visitados. Atualmente recebe em torno de 120 mil visitantes e conta com acervo de 120 animais, uma gama ameaçada de extinção.

Como parte das comemorações cinquentenária, o CIGS vai inaugurar em parceria com a Prefeitura Municipal de Manaus, no dia 13 de junho, a praça coronel Jorge Teixeira com seu busto em posição de destaque. Também será inaugurado um aquário para fauna amazônica e uma biblioteca com acesso a internet. O objetivo é proporcionar aos visitantes, em especial as escolas, maior incremento na educação ambiental.

Os idealizadores do CIGS também se fizeram presentes na Sessão como o general Thaumaturgo Sotero Vaz , informando que iniciaram o projeto em 1966 com o coronel Jorge Teixeira de Oliveira, que depois se tornou prefeito de Manaus e posteriormente governador de Rondônia. “Tínhamos um ideal de especializar combatentes do Exército”, disse.

O coronel Domingos Carlos Sá Novaes falou das dificuldades enfrentadas em função da precariedade da cidade e da região, que em sua maioria era mata virgem. “Tivemos que abrir estradas, construir bases de instrução necessária para fazer um trabalho sério, que completa 50 anos”, disse.

Participaram também da Sessão o Cmt da 16ª Brigada de Infantaria de Selva, General Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, o Cmt da 12ª Região Militar, General Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, o coronel José Fernando Faria, da Casa Militar da Prefeitura de Manaus e o Comandante da Polícia Militar, coronel David.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui