Clientes bolsonaristas decidem acabar com pesquisas do Instituto XP

Guilherme Benchimol, dono da XP, e Jair Bolsonaro - foto: reprodução/recorte

Descontente com resultados de suas pesquisas, XP passará a encomendar pesquisas a outros institutos, além do Ipespe, e sobre assuntos de interesse do sócio Guilherme Benchimol e clientes.

Levantamentos anteriores apontaram aumento da rejeição ao governo e liderança folgada do ex-presidente Lula.

A pesquisa XP/Ipespe, divulgada mensalmente desde 2018, com os índices de aprovação/desaprovação do governo e de intenção de votos, não será mais publicada com esta marca.

Os motivos foram as reações negativas dos sócios e clientes bolsonaristas, que têm demonstrado insatisfação com levantamentos nos quais aumentaram a rejeição a Jair Bolsonaro e a elevação da preferência pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, agora com chances de vencer no primeiro turno em 2022.

A XP encomendará pesquisas a outros institutos, além do Ipespe, e de assuntos de interesse dos clientes da empresa fundada por Guilherme Benchimol.

De acordo com informações publicadas pela coluna de Lauro Jardim, no jornal O Globo, a próxima pesquisa (de intenção de voto e de avaliação do governo Jair Bolsonaro) será divulgada na semana.

“Provavelmente, já será neste novo formato: assinada apenas pelo Ipespe, mas sem a assinatura da XP que, no entanto, continuará bancando-a e distribuindo-a”, destacou a coluna.

Na pesquisa XP, divulgada em agosto, apontou o ex-presidente Lula com 40% dos votos, e Bolsonaro em segundo, com 24%. Em segundo turno, o petista venceria o seu oponente por 51% a 32%. O levantamento mostrou que a desaprovação ao governo foi de 54% (ruim/péssimo).

Brasil 247

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui