Com a perda de poder aquisitivo, classe média deve apostar na economia

Sem poder aquisitivo aposte na economia/Foto: Ilustração

Sem poder aquisitivo aposte na economia/Foto: Ilustração
Sem poder aquisitivo aposte na economia/Foto: Ilustração

Após perder força no poder de consumo nos últimos doze meses, a classe média no Amazonas, e no Brasil, deve apostar na economia de gastos e poupança de recursos para os próximos seis meses, como recomendam especialistas do Conselho Regional de Economia (Corecon/AM), já que no Estado, 48% da população fazem parte desta classe social, cujos salários vão dos R$ 1.126 aos R$ 4.854 reais mensais, o equivalente a 1,9 milhão de pessoas.
Esta semana, revistas de abrangência nacional apontaram a  possibilidade de que os 39,5 milhões de brasileiros que ascenderam à classe C na última década retrocedam para os estratos D e E da população, preocupando o governo e economistas. Batizados de a ‘nova classe média’, esses milhões de novos consumidores injetaram dinamismo à economia brasileira e contribuíram para a expansão de novos negócios e investimentos no País.

Para o presidente do Corecon/AM, Marcus Evangelista, com o Produto Interno Bruto (PIB) em declínio e inflação perto dos 7% anuais, essa camada da população corre de fato o risco de retroceder na pirâmide social caso não aperte os cintos para a economia nos próximos meses.

“A paralisia econômica de 2014 e o risco iminente de recessão em 2015 agrava a situação da classe média. Infelizmente, hoje, todo mundo conhece alguém que recebia em janeiro do ano passado um salário fixo de R$ 4 mil e, agora, vivem de serviços esporádicos que não chegam a R$ 1,2 mil ao mês. E isso pode ser uma tendência”, alertou Evangelista.

Ele e outro consultor econômico do Corecon/AM, Ricardo Reis, apontaram quatro principais dicas para o trabalhador que busca garantir um ano de 2015 menos complicado economicamente e ainda com a possibilidade de armazenamento de recursos.

Registros de gastos

A primeira delas é o registro dos gastos domésticos. “Registre todos os seus gastos por um mês. Para conseguir economizar, você precisa saber como está gastando seu dinheiro. Parece simples e óbvio, mas não é.  Ao longo do próximo mês, marque todos os seus gastos. Não é preciso ter uma planilha complicada. Um caderninho resolve”, disse Marcus Evangelista.

Já o consultor Ricardo Reis aposta na redução de despesas mensais fixas. “Trabalhar para que as contas de energia, água e telefone sejam reduzidas fará uma grande diferença no final do  mês nas contas domésticas de qualquer família”, disse.

Ele também orientou a antecipação do pagamento de dívidas caso o dinheiro sobre no final do mês. “A taxa de juros cobrada no cheque especial ou no cartão de crédito é muito maior que o lucro de qualquer investimento. Livre-se primeiro de suas dívidas, principalmente as de cartão de crédito, para poder começar a juntar dinheiro”, afirmou.

Mas tanto Reis como Evangelista defendem que a poupança deve ser priorizada pela família assim que as principais dívidas forem quitadas e as contas do mês ajustadas. “Recebeu um dinheiro que não esperava? Guarde!

Recebeu sua restituição do imposto de renda, um bônus no trabalho ou algum dinheiro inesperado? Primeiro, resista com todas as forças a gastar no primeiro impulso. Se você conseguir resistir por alguns dias, vai ficar bem mais fácil dar valor ao dinheiro extra”, aconselhou Marcos Evangelista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui