Conselheiro tutelar é afastado por participar de propaganda eleitoral

João Bosco, afastado do Conselho/Foto: Anne Karoline

João Bosco, afastado do Conselho/Foto: Anne Karoline
João Bosco, afastado do Conselho/Foto: Anne Karoline

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) decidiu, por unanimidade, afastar João Bosco Pimentel, presidente do Conselho Tutelar da Zona Sul de Macapá. A medida foi publicada no dia 25 de novembro no Diário Oficial do Município (DOM). O afastamento é resultado de uma denúncia ingressada contra o conselheiro, acusado de participar de propagandas eleitorais em 2014, sem pedido de licença do cargo. O G1 entrou em contato com Bosco, que prometeu falar sobre o assunto ainda nesta terça-feira (2).

De acordo com o presidente do CMDCA, Nildo Souza, a denúncia é do suplente do ex-presidente do Conselho Tutelar da Zona Sul, que assumiu o cargo no lugar de João Bosco na instituição. Ambos disputavam a vaga na última eleição popular para conselheiros tutelares, ocorrida em 2010.

“Não foi o conselho que denunciou. Ele participou de uma propaganda política partidária, algo vedado pela legislação. A participação aconteceu enquanto ainda estava no cargo, inclusive com assinaturas de documentos na coligação para poder aparecer”, disse Souza, referindo-se à denúncia.

João Bosco ocupava o cargo de conselheiro na Zona Sul de Macapá desde 2011, quando tomou posse após ingressar com ações judiciais contra o candidato eleito no ano anterior, segundo o presidente do CMDCA. O mandato, antes previsto para encerrar neste ano, vai até 2016 por causa da unificação da escolha dos conselheiros tutelares no país.

O Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente informou que João Bosco está afastado definitivamente dentro da esfera administrativa, podendo voltar ao cargo somente por decisão judicial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui