Conselho de Ética da Câmara do Rio decide cassar mandato de Dr. Jairinho

Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo

O Conselho de Ética da Câmara de Vereadores do Rio decidiu por unanimidade, nesta segunda-feira (28), cassar o mandato do vereador Dr. Jairinho. Foram 7 votos a 0 a favor da cassação, e a reunião dos parlamentares foi a portas fechadas.

Jairinho e a namorada, a professora Monique Medeiros, estão presos acusados de matar o menino Henry Borel, de 4 anos, filho de Monique.

O parlamentar também responde na polícia pelas agressões e tortura de outras duas crianças.

Conselho de Ética da Câmara do Rio — Foto: Henrique Coelho/G1 Rio

Participaram da votação:

  • Alexandre Isquierdo (DEM) – presidente
  • Rosa Fernandes (PSC) – vice-presidente
  • Rogério Amorim (PSL) – secretário
  • Chico Alencar (Psol)
  • Zico (Republicanos)
  • Teresa Bergher (Cidadania)
  • Luiz Ramos Filho (PMN) – relator
Parlamentares se reuniram a portas fechadas — Foto: Henrique Coelho/G1 Rio

Alexandre Isquierdo, presidente do Conselho de Ética, falou sobre a suposta falta de espaço para a defesa de Dr. Jairinho.

“A defesa do vereador Jairinho teve amplo espaço. O próprio advogado de defesa terá um espaço de duas horas para concluir sua defesa na apresentação do Projeto de Lei para a cassação do mandato”.

“A gente, com muita tranquilidade e total imparcialidade, aprova o relatório final do vereador Luiz Ramos Filho”, disse.

Isquierdo disse que dificilmente Jairinho conseguirá manter seu mandato.

“Eu não vou falar aqui em nome dos 50 vereadores que votarão. O relatório do Conselho de Ética é bastante completo. Será bastante difícil a manutenção do mandato do Dr. Jairinho”.

O vereador Chico Alencar disse que não houve “atropelo” para o trabalho da defesa de Jairinho.

“Não houve qualquer atropelo, e sim a urgência do caso. Não houve atropelo”, disse o vereador do Psol.

Alencar falou ainda que está, ao mesmo tempo, orgulhoso e triste com a votação desta segunda-feira, e lembrou que Jairinho era titular do conselho.

“Antes do recesso, o caso escabroso. E seria vergonhoso a Câmara não não se manifestar sobre ele. Jairo Souza Júnior era titular do Conselho de Ética”, disse Alencar.

“O Conselho de Ética fez um trabalho respeitando todo o rito, e fez um relatório orientador”, disse Luiz Ramos Filho, o relator do processo.

Para a vereadora Teresa Bergher, a votação por unanimidade pela cassação de Jairinho é uma resposta à sociedade.

“Essa casa nunca viveu nada semelhante. Por unanimidade, nós aprovamos o relatório, em que nós comprovamos e confirmamos um trabalho de seriedade, com competência”.

Próximos passos

Depois da votação no Conselho de Ética da Câmara, o ato deve ser publicado na terça-feira (29), através de um projeto de Decreto Legislativo.

A votação será levada a plenário na próxima quarta-feira (30).

Neste caso, o afastamento de Jairinho ocorre se aprovado por dois terços dos vereadores — ou seja, 34 dos 50 votos.

A sessão terá direito a falas dos vereadores e da defesa de Jairinho.

G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui