Coreanas desobedecem ‘estado de calamidade’ decretado pelo Governo do Estado

Trabalhadores do Polo eletroeletrônicos de Manaus a menos de 1 metro, um do outro - foto: divulgação

As fábricas do Polo Industrial de Manaus (PIM) não estão se preocupando com o estado de calamidade pública, decretado pelas autoridades estaduais, municipais e instituições de saúde do Amazonas. Elas desobedecem as determinações do governo para conter o Covid-19, no Estado.

O alerta foi dado pelo presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Valdemir Santana, que sugere ao Governo do Estado e à Prefeitura de Manaus, fiscalizarem as condições e o risco de contaminação dos trabalhadores com o coronavírus – Covid-19, dentro das fábricas.

De acordo com Santana, principalmente as fábricas coreanas, que estão desobedecendo o alerta nacional sobre a transmissão do coronavírus. “Eles ainda mantem trabalhadores nas linhas de montagem a 20 centímetros de distância um do outro, quando a recomendação do Ministério da Saúde é que se mantenha uma distância segura de pelo menos um 01 Metro, para evitar a transmissão do vírus”, justifica.

Presidente dos Metalúrgicos do Amazonas, Valdemir Santana sugere férias coletivas para conter o vírus – foto: Correio

O transporte dos trabalhadores é outro fator de risco levantado pelo presidente dos Metalúrgicos. “A aglomeração nos transporte é inevitável e tem que ser observada como motivo de alto risco para os trabalhadores”, aponta.

Valdemir disse que a partir dessa segunda feira (23), a diretoria do Sindimetal vai pedir reuniões com os diretores regionais dessas fábricas (os principais diretores estão na Coréia, China, Japão e outros Países), para sugerir que eles deem férias coletivas aos trabalhadores até que passe o risco maior de estrangulamento da saúde no Brasil, que segundo o Ministro da Saúde, Henrique Mandetta, acontecerá no início de abril. Isso se não mantiver os cuidados sugeridos pelos governos estaduais.

Patronal

Valdemir afirma que os coreanos tem que modificar o processo produtivo deles. “A fabricante General Motors Brasil já liberou seus funcionários, porque os coreanos do Amazonas não podem liberar?”, questiona.

Reunião

Amanhã o sindicato dos trabalhadores vai chamar uma reunião com o sindicato patronal para expor a necessidade de tomadas de medidas urgentes e importantes, tanto para ampliar o espaço entre trabalhadores acima dos 20 cm atuais, como oferecer produtos de proteção além do álcool gel, na entrada da fábrica. Mas, principalmente, as férias coletivas até que se passe o risco.

Alerta mundial

O mundo está em alerta, com o Governo do Estado, a Prefeitura de Manaus, a Assembléia Legislativa, a Câmara de Vereadores e várias instituições amazonenses tomando medidas sérias e necessárias para contenção do coronavírus, mas as fábricas do Polo Distrito Industrial (PIM), principalmente as Coreanas, não estão ‘movendo uma palha’, para contribuir com as autoridades.

1 COMENTÁRIO

  1. Eu como funcionário de uma coreana, desconheço essa informações, por outro lado entregaram fichas para triagem e prevenção contra a COVID-19.
    E mais, a mesma liberou vários dos funcionários, como idosos, hipertensos e menores aprendizes que fazem parte da zona de risco, e a mesma esta colocando de quarentena os suspeitos de COVID.
    O SINDICATO A CIMA ESTÁ ATACANDO AS COREANAS, POR ALGUM MOTIVO TORPE que nao esteja relaciona com a COVID-19

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui