Corrida na veia dos amazonenses – por Dudu Monteiro de Paula

José Laan - Foto: Reprodução

Na transição da pequena e pacata cidade de Manaus, para cidade industrial de hoje, vivemos o BOOM do esporte no Amazonas.

Para toda data festiva, um grande evento esportivo, por exemplo: Jogos do Dia das Crianças; Jogos do Dia dos Pais; Jogos Comerciários; Jogos Operários; Jogos Universitários; Jogos Setembrinos; Jogos da Pátria; Jogos do Amazonas; Jogos Bancários; Semana Rionegrina; Semana Nacionalina e etc.

Normalmente, eram jogos de voleibol, basquete, futsal e uma corrida pedestre. Dentre elas, a Henrique Archer Pinto; a 1º. de maio e muitos aniversários dos clubes da cidade.

Sem esquecer as Corridas Ciclísticas e os Jogos Interbalneários, muitos há época: Guanabara, Bosque, Tucunaré, Bancrévea, AABB, Caiçara, Comerciários e outros.

Dário Silva – Foto: Reprodução

Muitos são os nomes, que devem ser destacados! Falaremos de alguns das corridas.

DÁRIO SILVA: um dos nomes que a história guarda no coração. Atleta nato de grande capacidade, sempre presente nos eventos do pedestrianismo, com grande destaque nos Jogos Comerciários, Operários e representando o Amazonas nos eventos nacionais.

Nos anos noventa, foi trabalhar em Coari na Universidade Federal do Amazonas. Chegando lá criou a mais tradicional corrida do município: “a Corrida dos Campeões”, que perdurou por mais de trinta anos, até a partida do Seu Dário para a Corrida do Céu Infinito.

ÁLVARO HONÓRIO DE LIMA: “Campeoníssimo” e o primeiro amazonense a participar da Maratona de Nova York, já contamos a História dele em outro artigo.

Alzir Laan – Foto: Reprodução

AZIR ROQUE LAAN: amazonense, comerciante, oriundo do bairro da Glória, personagem muito conhecido no bairro São Raimundo. Atleta do Sul América Esporte Clube, sempre com grande destaque nas provas nas décadas de 40, 50 e 60. Em 1949, conquistou o Primeiro lugar na Corrida do Trabalhador e recebeu uma medalha de ouro.

Curiosidade: toda a vez que o AZIR LAAN chegava em primeiro lugar, havia um cidadão chamado Reinaldo Tribuzzi de uma família tradicional do Amazonas, que o acompanhava até a linha de chegada.

Deixou de participar da São Silvestre, pois teve que acompanhar a esposa Iolande de Queiroz Laan, que na semana da corrida deu à “luz” a um novo membro da família. Hoje, JOSÉ LAAN, filho de AZIR, corre com a bandeira do Amazonas com a frase: Orgulho de Ser Amazonense. Seguindo as pegadas do pai, conquistou em nome de AZIR, a participação na Corrida São Silvestre e destaca: Correr com o pai no coração é transformar o sonho do pai em realidade.

José Laan – Foto: Reprodução

O mais emblemático personagem de corrida na História do Amazonas foi GODOFREDO OLÍMPIO DE CARVALHO, o GODÔ: participante de todas as corridas. Sua principal característica era sempre chegar em último lugar. Era tão marcante a presença dele, que as corridas na capital só encerravam quando o Godô chegava e o povo vibrava, como se fora o primeiro a chegar.

Uma determinada vez, um GAIATO resolveu chegar depois do Godô. Que ao perceber, simulou estar passando mal e sentou no meio fio da Avenida Sete de Setembro há poucos metros da chegada.

O GAIATO não percebeu e chegou gritando que era o último. Tão logo passou a linha de chegada, compreendeu que na verdade os gritos e aplausos eram na verdade para o Godô, que despontava no início da Avenida Eduardo Ribeiro, mantendo a tradição do último a chegar. “O abestado se lascou e tradição foi mantida”.

Por hoje é só! Semana que vem tem mais! Fuuuiiiiii!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui