Dallagnol e Lava Jato são acusados de ‘perseguidores’, por Bolsonaro

Bolsonaro acusa Dallagnol e Lava Jato de perseguirem sua família - foto: recorte/arquivo

Em texto confuso no Twitter, Bolsonaro afirma que a Lava Jato tentou “cooptar o entorno do Presidente da República para a escolha do PGR em 2019” e reclama por procuradores terem zombado dos vazamentos de dados do sigilo bancário de Flávio.

Jair Bolsonaro utilizou o Twitter nesta sexta-feira (26) para aproveitar o desgaste da Lava Jato e acusar o ex-chefe da operação Deltan Dallagnol e demais procuradores de perseguirem sua família.

Em um texto confuso, se referindo às mensagens trocadas entre membros da força-tarefa e apreendidas pela Operação Spoofing, Bolsonaro diz que a suposta perseguição contra sua família está presente em diversos trechos dos diálogos.

Ainda de acordo com o chefe do governo federal, a Lava Jato tentou “cooptar o entorno do Presidente da República para a escolha do PGR (procurador-geral da República) em 2019”.

Site bolsonarista divulgou nesta sexta-feira supostos trechos de conversas entre procuradores da Lava Jato. Segundo as conversas publicadas, Dallagnol, Roberson Pozzobon e Jerusa Viecili riem sobre quem seria o autor dos vazamentos de dados do sigilo bancário de Flávio Bolsonaro. “Identificamos a fonte do vazamento dos dados da família Bolsonaro!! O COAF e MP juntos!”, teria escrito Dallagnol em 22 de janeiro de 2019. Pozzobon e Jerusa gargalham: “Hahahaha” e “Kkkkkk”…

Para Bolsonaro, Dallagnol alega que tudo não passou de uma brincadeira com o objetivo de “fugir de sua responsabilidade”. “Os diálogos do vazamento da família ocorreu em 2019, onde Bolsonaro já era Presidente da República. Isso é crime!”, protesta.

Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui