David Reis continua com administração ‘suspeitíssima’, afirmam assessores

David Reis faz mais uma retirada dos cofres para serviços desnecessários – foto: recorte/CMM

Desde o fim dos mandatos dos presidentes Wilker Barreto (PHS) e Joelson Silva (PSDB), a Câmara Municipal de Manaus perdeu a sua função constitucional e política ao não aprovar um único projeto de relevância para a cidade de Manaus, alguma coisa que organize a vida da população de forma a tornar menos traumática as suas necessidades básicas.

Na gestão do ausente e autoritário David Reis (Avante), a CMM aprovou apenas ‘dias de uma coisa’, ‘semana de outra coisa qualquer’, que não tem nenhuma relevância para a cidade e se distanciou por completo dos problemas emergente de Manaus.

Menos o grande feito, que foi reunir número de votos suficientes para homologar o ‘auxílio manauara’, que é um projeto do executivo municipal, sem nenhuma alteração no texto.

Segurança se batendo pelos corredores

Para assessores parlamentares efetivos da Casa e que evidente, preferem ficar nos bastidores, o presidente adotou decisões suspeitíssimas”. Ou seja, ainda não está explicado o motivo da contratação de duas empresas de segurança interna para a Câmara Municipal de Manaus, uma vez que existe um sistema de segurança digital que monitora todo o movimento interno e externo da Câmara.

Como os presidentes Wilker Barreto e o Joelson Silva fizeram todas as reformas físicas (possíveis e impossíveis) ao David Reis só resta faturar as várias contratações de serviços, muitas delas embutidas em termos de cooperação técnica e verbas de gabinetes, publicadas no portal da Transparência.

“Ah, gente q conhece, fala q as diretorias da CMM, assim como o gabinete da Presidência, é tudo gente do Sabá Reis, secretário da Semulsp. O menino não tem autonomia. A CMM não é mais que um puxadinho do papai”, com todas as letras de um servidor.

Os sócios da Casa

Nota divulgada no Portal Único de hoje (10), afirma que mais da metade dos vereadores da Câmara Municipal de Manaus estão afastados das decisões, inclusive vereadores da Mesa, como o vereador Jaildo de Oliveira (PCdoB). São as informações de parlamentares afastados do centro das decisões e que não fazem parte do ciclo de ‘sócios’ das atividades.

De acordo com um assessor de um vereador de centro esquerda, David Reis (Avante) Glória Carrate (PL), Diego Afonso (PSL), Fransuá (PV), Ewerton Assis (PSL) e Bessa (Solidariedade) “se apossaram de tudo, tudo com a participação direta do David Reis, que exerce a presidência de uma forma autoritária e arrogante e suspeita”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui