Deputado cobra do IBAMA medidas para coibir danos causados pela hidrelétrica de Jirau

Hidrelétrica de Jirau e os danos ao meio ambiente/Foto: Arquivo

O deputado estadual Sidney Leite (PROS) encaminhou, hoje, terça-feira (22), requerimento ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), cobrando que o mesmo solicite esclarecimentos sobre o Estudo de Impacto Ambiental (EIA/Rima), de parte das empresas que executaram a obra da hidrelétrica Santo Antônio do Jirau, em Rondônia, e na sessão plenária de hoje (22), o parlamentar denunciou grandes danos ambientais, econômicos e sociais na região do Rio Madeira, a partir da Hidrelétrica.
“Os estudos feitos até hoje não levaram em consideração a região do Rio Madeira no Amazonas, sendo que os dois estados estão interligados por esse rio”, denunciou o parlamentar.

Hidrelétrica de Jirau e os danos ao meio ambiente/Foto: Arquivo
Hidrelétrica de Jirau e os danos ao meio ambiente/Foto: Arquivo

O deputado acrescentou que o novo EIA/Rima precisa ser supervisionado pelo IBAMA. “Nós não podemos aceitar que os órgãos competentes continuem negando que a hidrelétrica não afeta nossa gente. Quem vive na região do baixo amazonas está sentindo na pele as consequências das inundações do Madeira desde que as comportas do Jirau foram abertas”, declarou, ressaltando que os impactos vão além da questão ambiental. “Toda a fruticultura e pecuária de várzea está comprometida, quem depende dessas atividades econômicas são os maiores prejudicados”, completou.

Além de enviar a solicitação para um novo EIA/Rima, Leite defendeu algumas compensações, mediante comprovação dos impactos ambientais: indenização das famílias prejudicadas, royalties para o Estado do Amazonas e pagamento de compensação ambiental pelo consórcio responsável pela obra.

“O Governo Federal faz uma obra que gera grande impacto ambiental e social ao Amazonas, nós não recebemos se quer 1kilowatts dessa energia gerada. O parlamento estadual não pode ser omisso a essa situação”, concluiu Sidney Leite.

Diego Peres

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui