Deputado do PT defende mineração nas terras indígenas, igual a Bolsonaro

Sinésio Campos é um deputado do PT, com perfil de bolsonarista - foto: recorte/divulgaçãoSecom

A proposta e defesa da exploração das reservas minerais no Amazonas, feita pelo deputado Sinésio Campos (PT), tem sido uma preocupação constante de ambientalistas, movimentos indigenistas e, principalmente, de políticos e movimentos sociais ligados ao Partido dos Trabalhadores no Estado.

Na tribuna da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), Sinésio tem alardeado que o trabalho que vem sendo executado, ao longo do seus quatro mandatos, é em defesa da econômica no Amazonas, mas não é o que pessoas da direção estadual do Partido ao qual ele é filiado, sustentam.

Idêntico a Bolsonaro

A proposta de Sinésio é idêntica à do presidente Jair Bolsonaro, que incentiva a mineração, o desmatamento, a devastação das riquezas florestais, os garimpos e a extinção das reservas indígenas em toda a região norte do País. Ou seja, Sinésio caminha na contramão do que propõe o PT, a ciência e os estudos, que indicam para uma terra devastada se a mineração for autorizada na Amazônia.

Cenário de destruição avassalador da Amazônia, no governo Bolsonaro – foto: recorte/recuperada

“Não dá para explorar minérios, o ouro, sem despejar grande quantidade de mercúrio nos rios. Existem outras maneiras de explorar as riquezas da Amazônia, sem destruir o meio ambiente, a floresta e sem precisar tirar os guardiões deste patrimônio da Natureza e os indígenas de suas reservas. Esse é o erro do Sinésio, que sequer tem discutido e nem seguido as orientações do Partido, sobre o tema”, destaca um dirigente estadual do partido.

Política de devastação

A política de devastação defendida por Sinésio Campos vem sendo tema de manifesto desde março de 2011. Um deles, feio pelo então chefe da Casa da Cultura do Urubuí, Egydio Schwade, que na época apontou a movimentação do deputado petista amazonense como nociva ao meio ambiente e à integridade das nações indígena em todo o território amazonense.

Resultado dos garimpos em terras indígenas, autorizados por Bolsonaro – foto: recuperada/recorte

Desde então, a exploração mineral no Amazonas vem sendo apresentada por Sinésio Campos, como principal proposta do seu mandato. “Ocorre que se transformou em proposta mais alinhada com a do governo federal e à política de devastação ambiental de Jair Bolsonaro, do que propriamente na defesa da economia e do povo pobre e espoliado das nações indígenas”, diz o dirigente.

A Amazônia é essencial à vida humana na terra, mas o garimpo, o gado e as plantações podem mudar a configuração da região, transformando a paisagem verde em deserto Contudo, insistentemente o deputado tem colocado na sua pauta apenas assuntos polêmicos como: mineração, a militarização das escolas e, mais recentemente, defendido propostas políticas partidárias alinhadas ao palanque de Bolsonaro.

PT no Estado

A militância petista do Estado tem estranhado as insistentes interferências do deputado Sinésio Campos para manter a Federação (PT-PV-PCdoB), menor do que ela já está. Ele é presidente do diretório estadual do PT, no Amazonas e, como tal, não deveria conduzir o processo, para que as esquerdas não tenham candidatos de peso nestas eleições 2022.

Esse é um assunto para a próxima nota.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui