Deram uma arma para Omar Aziz e ele pode ter atirado no próprio Pé

Senador pelo Amazonas Omar Aziz (PSD), quando apoiava o ex-governador José Melo, deposto por escândalo de desvio de verbas da Saúde - foto: recorte/arquivo

O que levou o senador do Amazonas Omar Aziz (PSD), com toda a sua família envolvida na operação da Polícia Federal, Maus Caminhos, que desviou dinheiro da Saúde do Estado, derrubar duas candidaturas vitoriosas?

Qual carta na manga é essa, que a primeira vista, só mostra fragilidade nos embates das campanhas eleitorais que se seguirão e que, certamente, deixarão o PSD mais vulnerável?

Omar terá que concorrer ao senado, ao governo, à prefeitura e até mesmo a síndico do condomínio de luxo onde mora, caso queira manter a tal imunidade parlamentar, que o deixou fora da cadeia, tamanha a gravidade do processo que ele e a família respondem na justiça federal.

Ainda assim, tem tomado decisões de desmantelamento do partido do qual é dono. Tem afastado figuras políticas de alto potencial eleitoral e desagregado as bases e a credibilidade do PSD e aberto uma imensa brecha de descrédito em relação à solidez dos nomes e das candidaturas que ainda hoje estão dentro do partido.

Exterminador de candidatos

O senador exterminou a candidatura de David Almeida ao governo do Amazonas em 2018, sem dar a mínima explicação para a decisão desastrosa. Agora, dissipou a candidatura do deputado Josué Neto (PSD), à prefeitura de Manaus em 2020. Também não justificou a sua decisão. Ciúme, inveja, excesso de confiança?

Acordo de Gaveta

Os comentários são de que Omar Aziz estaria sedimentando a candidatura do deputado federal Sidney Leite (PSD) à prefeitura de Manaus, em um acordo de gaveta fechado nos gabinetes da Câmara Federal.

Terá que arrancar ‘leite’ de pedra. Sidney foi o 7º das eleições 2018, com 77.458 votos (4,39% dos votos válidos), ganhando só do deputado Bôsco Saraiva (SDD), o último da fila. Isso falando de Estado e dos currais eleitorais de prefeitos do interior. Manaus é outra história.

Além do mais, Sidney terá de justificar o apoio de uma das figuras políticas mais envolvidas em escândalos do Estado, na atualidade, como também, enfrentar os mais de 20 supostos candidatos, que já se anunciam para a campanha do ano que vem.

Estarão no páreo, segundo o que é divulgado na mídia, a ex-senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Amazonas (OAB-AM), Marco Aurélio Choy, o ex-presidente da ALE-AM e ex-governador interino David Almeida (Avante), Serafim Corrêa (PSB),Wilker Barreto (Podemos), Alessandra Campêlo (MDB), Capitão Alberto Neto (PRB), o sempre candidato Silas Câmara (PRB), que supostamente tem a ficha muito mais limpa que a de Omar Aziz.

A lista de pré-candidatos tem ainda: Alfredo Nascimento, Marcelo Ramos, Bosco Saraiva, Chico Preto, Romero Reis, Hissa Abrahão, Marcos Rotta e, outros.

Alguém deu uma arma para o senador dos Maus Caminhos e ele pode ter dado um tiro na cabeça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui