Desmatamento na Amazônia passa mais uma vez de 8 mil km² durante gestão Bolsonaro

Dados de desmatamento foram atualizado nesta sexta-feira (12) pelo Inpe — Foto: ASSOCIATED PRESS

O acumulado de alertas de desmatamento em 2022 na Amazônia foi de 8.590 km², segundo dados divulgados nesta sexta-feira (12) pelo Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe). Este é o terceiro ano consecutivo da gestão do presidente Jair Bolsonaro (PL) que os alertam ficam acima da marca de 8 mil.

Somente no último mês de julho, a área sob alerta de desmatamento na região foi de 1.486 km² de floresta, a maior para a temporada.

Quando comparada com a temporada de 2020/2021, o atual período registrou uma queda de cerca de 2% no acumulado de alertas, uma redução que equivale a uma área 190 km², um pouco menor que o tamanho do Recife. Segundo especialistas ouvidos pelo g1, o número, porém, continua bastante elevado e não aponta um retrocesso no desmatamento.

Em decorrência das variações do clima, as estatísticas de alerta de desmatamento do Brasil sempre levam em consideração o período entre agosto de um ano e julho do ano seguinte.

Dessa forma, pesquisadores podem levar em conta todo o ciclo de chuvas e secas do bioma, além de como as queimadas e o desmatamento flutuaram dentro dos mesmos parâmetros climáticos.

De agosto de 2021 até o dia 31 julho deste ano, houve alerta de desmatamento de 8.590 km² de área da floresta, uma zona que equivale um pouco mais que o tamanho da cidade de Campo Grande (MS).

O recorde na série histórica foi entre agosto de 2019 e julho de 2020, quando 9.216 km² de alertas foram computados. Já na temporada de agosto de 2020 a julho de 2021, esse índice foi de 8.780 km², o segundo pior em 5 anos.» LEIA MAIS

g1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui