Economia e qualidade na Feira da ADS no Shopping Ponta Negra

Segundo os produtores, entre os itens mais procurados estão as frutas regionais/Foto: Divulgação

Frutas, verduras, legumes, farinhas, açaí, tapioca, temperos, café, doces, queijos, mel, ovos, pães, polpa de frutas, azeite, mudas de plantas e até mesmo aquele tradicional pastel, tudo produzido pelas mãos de amazonenses. Todas as quartas, das 16h às 20h, e aos sábados, das 7h às 12h, os clientes do Shopping Ponta Negra poderão encontrar no estacionamento interno (G1) a Feira de Produtores Regional da Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS), que alia economia, qualidade e variedade.

E agora os consumidores que visitarem a feira aos sábados contam com mais uma novidade: a tarifa única de estacionamento. Até às 12h, os clientes irão pagar apenas R$ 5 (exceto Vip Valet) pelo serviço, sem limite de horário para saída. O regulamento da ação está disponível nos guichês de estacionamento centro de compras, bem como no site www.shoppingpontanegra.com.br.

Feira de Produtores Regional alia economia, qualidade e variedade/Foto: Divulgação

“A feira tem conquistado cada vez mais frequentadores, inclusive nós já chegamos a receber mais de oito mil pessoas num só dia de funcionamento. Isso mostra que a população está preocupada com a alimentação, quer contribuir para a renda dos produtores locais e o Shopping Ponta Negra é uma opção para quem que reside, trabalha ou frequenta na área da Ponta Negra”, aponta a gerente de marketing do mall, Karla Henderson.

Com base em cálculos da ADS, a renda familiar dos agricultores aumentou em mais de 80%, com a retirada do atravessador do processo de comercialização. No Shopping Ponta Negra, os produtores comercializam seus produtos conseguindo um lucro que vai de R$ 1 mil a R$ 3 mil por dia na feira.

A feira tem conquistado cada vez mais frequentadores/Foto: Divulgação

Mais procurados

Segundo os produtores, entre os itens mais procurados estão as frutas regionais como, por exemplo, o cupuaçu, que pode ser encontrado a partir de R$ 3, ou o biribá, que chega a custar R$ 1.

Também custando a partir de R$ 1, é possível o consumidor levar para casa um maço de alfaces, e o quilo da batata doce por R$ 3. O quilo do limão regional sai por R$2, mesmo preço do pacote com pimentões.

Com base em cálculos da ADS, a renda familiar dos agricultores aumentou em mais de 80%/Foto: Divulgação

Outro campeão de vendas é a queridinha dos amazonenses, a farinha de tapioca, que custa a partir de R$ 4, seguido pela farinha de mandioca, que está a partir de R$ 5. Já a polpa de suco custa a partir de R$ 5, dependendo da fruta.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui