Escola japonesa indica caminho para retorno de aulas presenciais no Brasil

Disponibilização de álcool em gel 70% em todos os espaços da escola - Foto: Divulgação

Para conter a propagação do Covid-19, escolas de todo o Brasil cancelaram as aulas presenciais desde o mês de março. O Conselho Nacional de Educação não estabelece datas para a volta às aulas presenciais, mas recomenda que o retorno aconteça de maneira gradual. Para não serem pegos de surpresa, autoridades estaduais e municipais e gestores escolares já planejam a reabertura das escolas.
Para garantir a segurança e prevenir a disseminação de doenças com a reabertura, a comunidade escolar precisa levar em consideração importantes medidas orientadas pelos órgãos de saúde e olhar para exemplos de países que já estão se recuperando. Noruega, Japão, China, Portugal, Holanda e Coreia do Sul já têm suas escolas abertas, seguindo protocolos rígidos.
As atividades presenciais do Colégio Mundo de Alegria, localizado na província de Shizuokano, no Japão, foram restabelecidas no fim de maio. A diretora pedagógica, Maristela Akaya, afirma que a cultura de higiene do país ajudou muito na preparação para esse momento. “Houve preocupação em relação aos meios de transporte público, no entanto, devido a seriedade da comunidade em geral em colaborar em seguir as medidas preventivas solicitadas. Por isso, até o presente momento, estamos tranquilos. No início, houve certa escassez de matérias primas indicadas para a segurança na prevenção contra o coronavírus, mas o colégio possuía estoque de alguns itens (o país inteiro é constantemente orientado sobre estoques), devido estarmos situados em uma região geográfica acometida de constantes calamidades climáticas”, explica.
Cada aluno deve levar sua máscara e material para uso individual – Foto: Divulgação
Quanto à realização de eventos, Maristela conta que estão retornando com cautela a partir de junho “Nossa festa julina, devido ao cancelamento, ocorrerá de forma interna somente com os alunos, tomando as devidas precauções. E a nossa reunião de pais e mestres ocorreu com atendimento presencial e on-line, com horário agendado e com intervalos entre cada responsável. O interessante é que tivemos um ótimo aproveitamento das reuniões, pois, com limite de tempo, tudo foi muito objetivo”, relata.
No Brasil, alguns municípios já se preparam para o retorno às aulas com o cumprimento de protocolos. O Colégio Radeane, de Volta Redonda (RJ), com aula suspensas desde 16 de março, já preparou toda a estrutura da escola e capacitou os funcionários para o retorno previsto para o mês de julho. “Estamos aguardando a decisão final da prefeitura e do Estado, mas já fizemos todas as compras de equipamentos necessários para essa volta com segurança e elaboramos um vídeo explicativo que simula como será a rotina da escola daqui para frente, com o objetivo de preparar pais e alunos”, afirma a diretora administrativa do colégio, Maria Marques.
Os dois colégios citados fazem parte da rede conveniada ao Sistema Positivo de Ensino, que tem realizado ações de conscientização e preparação das escolas para auxiliar nesse momento de retorno, além do oferecimento de conteúdos e aulas on-line para a permanência dos estudos durante a quarentena. Entre as medidas indicadas pelo Sistema e por órgãos de saúde, estão:
  • Retorno gradual de alunos à escola, de preferência com diferença de uma semana entre o retorno da Educação Infantil, do Ensino Fundamental I, do Ensino Fundamental II e do
  • Ensino Médio, se houver;
  • Entrada individual de alunos com aferimento de temperatura;
  • Higienização das mãos em todos os espaços com disponibilização de álcool em gel 70%;
  • Desinfecção dos calçados ao entrar na escola;
  • Pulverização de desinfetantes nos ambientes e locais de uso comum, como reforço da rotina de limpeza;
  • Uso obrigatório de máscaras – tanto pelos colaboradores, quanto por alunos e professores;
  • Distanciamento entre carteiras e espaçamento em sala de aula e eventuais filas nas dependências da escola;
  • Abolição do uso de material coletivo;
  • Conscientização constante por meio de cartazes e discurso da equipe;
  • Diálogo constante com pais e responsáveis para um atendimento mais próximo, conhecimento das preocupações das famílias e divulgação dos procedimentos feitos pela instituição para garantir a segurança dos alunos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui