Amazonas Colunas Educação

Escolas públicas pagas com impostos dos trabalhadores – por Waldemir José

Waldemir José foi vereador da cidade de Manaus pelo Partido dos Trabalhadores.
Redação
Escrito por Redação

“Você não paga para ver seu sonho se tornar realidade”

Essa frase foi base de uma campanha da Universidade do Amazonas – UA, agora Universidade Federal do Amazonas, UFAM, na década de oitenta.

Duas invasões, à Universidade Federal de Santa Catarina que cominou com a morte do seu Reitor Luiz Carlos Cancellier no dia 05 de outubro do ano em curso, e hoje a Universidade Federal de Minas Gerais sofreu a mesma arbitrariedade. Ambas para passar a mesma mensagem. A Universidade Federal Pública é um espaço de corrupção.

Waldemir José foi vereador da cidade de Manaus pelo Partido dos Trabalhadores.

Qual a consequência, acabar com a Universidade Pública e gratuita?

Eu não concordo com a frase inicial. As escolas públicas são pagas pela classe trabalhadora ao pagar impostos. O trabalhador não paga como mensalidade, mas paga como impostos.

Eu sou filho de um sargento da polícia militar e de uma parteira. De uma família com seis filhos naturais e três adotados. Só estudei em escola pública. Fiz o curso de licenciatura plena em Matemática e o curso de economia, ambas na UA.

Não teria outra forma de fazê-lo na época se não tivesse escola pública para estudar. A classe trabalhadora precisa de mais universidades públicas para ter mais chances no futuro.

Esses ações nas universidades são base para desmoralizar a instituições públicas. Para ser transformadas em Universidades pagas. Diminuindo a possibilidade de novos alunos da classe trabalhadora possam ter seus sonhos realizados.

Desmoralizar as universidades públicas, como já desmoralizaram a Petrobrás, a Vale do Rio Doce, é o primeiro passo para privatizar as Universidades Públicas.

Lula

O Governo Dilma e Lula ampliaram o número de vagas na Universidade Federal. A Ufam aumentou de 10 mil para 40 mil alunos. O IFAM, antiga Escola Técnica, ampliou de 03 para 15 no Estado do Amazonas. Esse é o movimento para ser feito ampliar o número de vagas nas Universidades Federais e levar para todas as cidades do Interior do Estado.

Ufam, UFPA, UFRR, UFPR são conquistas para a classe trabalhadora. Não a Privatização. Universidade tem que ser Pública, de qualidade e autônoma.

*Waldemir José é professor, cronista e político.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário