Estranhas publicações, com ataques à Segurança Pública do Estado

registro do encontro na Editora Abril..

registro do encontro na Editora Abril..
registro do encontro na Editora Abril..

No primeiro turno, Eduardo Braga fez uma estranha visita à direção da Editora 3, que publica e distribui a revista Isto É. Semanas depois, sai uma reportagem difamando o governo de José Melo e a segurança pública do Estado. Na reta final das eleições, outra publicação, dessa vez na Revista Veja, com fatos estranhamente engendrados para tentar difamar não só a honra e honestidade de um candidato e de uma campanha levada à limpo, mas, também o alto comando da segurança pública do Amazonas.
Não temos registro de suposta visita ao Grupo Abril. Sabemos, entretanto, que se plantar o medo, a insegurança, incentivar e financiar o terrorismo entre a população do Estado, o candidato Eduardo Braga estará selando de vez a sua derrota, inevitável, no próximo domingo. O feitiço pode estar voltando contra o feiticeiro.
Sendo assim, relembramos a primeira reportagem publicada na revista Isto É, em setembro de 2014, que falava de uma hipotética incapacidade administrativa do Governador no combate ao crime organizado no Amazonas… não surtiu efeito, a população percebeu a manobra e depositou mais votos na urna de Melo.
Hoje, domingo (19) uma seleta classe social ficou surpresa com nova reportagem. Dessa vez, uma publicação da revista Veja, do grupo Abril, levou à público uma gravação extraída dos porões da penitenciária, de uma conversa onde até a própria revista admite, que a gravação está “inaudível”, mas mesmo assim publicou, não se sabe a que custo e nem a que ordem.
O “mar de lama”, a que se pretende jogar a campanha para escolha do chefe da pasta ao Governo do Amazonas, respinga fortemente no Estado e na população amazonense, que nesse caso, fica exposto ao restante do Brasil como Estado e povo subjugado ao crime organizado.
É hora de repensar os métodos arcaicos de fazer política pela difamação e, também, pela truculência. A sociedade está mudando, as redes sociais são mais velozes que comentários de comitês, as pessoas se informam e sabem quem está criando fatos para se beneficiar do jogo.
Por isso, edito uma frase de um velho e conhecido amigo: … “Hoje me sinto compelido, em votar no atual governador, com um única forma de evitar que Eduardo Braga seja eleito”. (Paulo Onofre)…

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui