Estudo realizado com fibras do açaí é finalista em Feira de Ciências

Foto: Divulgação

Alunas do terceiro ano de uma instituição particular de ensino em Manaus são responsáveis por um estudo inédito que tem como objetivo desenvolver um filtro utilizando as fibras lignocelulósicas do açaí para realizar o controle da qualidade do ar no Amazonas. A pesquisa acaba de se tornar finalista da Feira Brasileira de Jovens Cientistas, primeira feira de ciências online para jovens do nosso país.
A feira será totalmente virtual e foi criada por jovens que participaram das maiores feiras de ciências do Brasil e do mundo para democratizar ainda mais o acesso a eventos científicos para estudantes de todo o país. Palestras de cientistas brasileiros renomados, além de workshops e uma maratona de inovação fazem parte da programação do encontro.
O experimento surgiu com a preocupação das alunas com os impactos gerados com a poluição ambiental, levando em conta que, em Manaus, a concentração de poluentes é duas vezes maior que os níveis toleráveis pela Organização Mundial da Saúde (OMS). As queimadas e desmatamentos estão entre as principais causas da poluição do ar no Amazonas.
As jovens mostraram que, além do seu sabor exótico, amplamente utilizado no preparo de bebidas, sorvetes, geléias e doces, o açaí também é uma alternativa barata e biodegradável para criar um protótipo de um filtro utilizando as fibras do fruto, que resulta em um papel sustentável que servirá para avaliar os poluentes do ar.
Os testes com os protótipos devem iniciar após a pandemia do Covid-19, na área do Polo Industrial de Manaus (PIM), para realizar a medição da emissão de monóxido de carbono pelas empresas, e também em lixões que utilizam as queimadas como tratamento desses resíduos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui