Exército russo treina cães paraquedistas e faz saltos de 4 mil metros

Cães treinados pelos russos saltam com os soldados - Foto: Reprodução / East2West

O governo da Rússia está realizando novos testes com equipes de cães paraquedistas. Presos por um equipamento de segurança aos soldados e usando focinheiras, eles foram colocados para saltos de 4 mil metros de altura.

Segundo um relatório russo, divulgado pelo ministério de defesa, todos os cães que participaram do teste se sentiram bem ao chegar ao solo e estavam prontos para seguir comandos.

As “forças de segurança” caninas são frequentemente usadas em operações militares e de resgate, de acordo com o exército russo.

O treinador de paraquedistas Andrey Toporkov contou à TV Zvezda, emissora que pertence ao ministério de defesa russo, que os cães já deram oito saltos durante o treinamento.

“O mais importante é colocar os cães na aeronave. Eles toleram o voo e até olham as nuvens pela janela. Quando a escotilha se abre, apesar do vento e do barulho, eles se acalmam graças ao adestrador de cães que acompanha os saltos”, afirmou o treinador.

“O segredo é conhecer o cão com antecedência, acariciá-lo, alimentá-lo com a permissão do dono, para que o cão confie em você mais tarde. E você não pode demonstrar medo – os cães sentem tudo”, adiciona ele.

Um equipamento especial produzido pela fábrica de pára-quedas Ivanovo permite que um especialista militar salte com um condutor e um cão.

O presidente Vladimir Putin visitou a fábrica no ano passado e inspecionou os novos equipamentos, que são preparados para a aterrissagem de cães militares em locais onde é impossível pousar aviões ou helicópteros.


Foto: Reprodução/East2West

O chefe de design da Ivanovo, Alexey Kozin, disse que existem pesquisas em andamento para permitir que grupos de cães sejam lançados a partir de 8 mil metros, porém isso exigiria um suprimento de oxigênio.

“Durante os primeiros testes, um fato surpreendente foi revelado. Mesmo de uma altura de muitos quilômetros, o cão observa a terra e tenta ‘pegá-la’ com as patas”, diz o relatório da Svezda. “Anteriormente, acreditava-se que os cães não podiam enxergar o momento a aterrisagem.”

O designer explicou também que os arreios para cães protegem as costas dos animais. Eles podem ser adaptados para cães com peso de até 45 kg.

Um cão chamado Brian

A utilização de cães em saltos de paraquedas não é novidade nas estratégias de guerra. Enquanto se preparavam para o Dia D e para a luta contra a Alemanha nazista, o 13º Batalhão Paraquedista do Exército Britânico desenvolveu uma nova arma: cães paraquedistas.

Um cão heroico, chamado Brian, chegou a receber uma medalha pelo seu serviço durante a Segunda Guerra. Ele treinou arduamente para ser usado pelo Exército Britânico, aprendendo a identificar campos minados.

No Dia D, ele foi lançado de paraquedas sob fogo antiaéreo pesado no continente. Ele estava lá quando os Aliados libertaram a Normandia. Poucos meses antes do fim da guerra, ele foi lançado de paraquedas no oeste da Alemanha, de onde marchou até o mar Báltico.

Uol

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui