Falta metade dos funcionários em órgão de arrecadação do Município

Horas de espera na Secretaria de Finanças do Município...
Horas de espera na Secretaria de Finanças do Município…

Está faltando funcionários para o atendimento na Secretaria de Finanças do Município – SEMEF. Os que existem lá, não conseguem atender a demanda e, com isso, formam-se longas filas e horas de espera dos contribuintes, diariamente. A espera chega, em alguns casos, a mais de 04 horas, a contar do recebimento da senha.
Na Semef não há limite de tempo de espera. A Lei 1.836/2014, popularmente conhecida como a Lei das Filas, serve para os bancos, não para o órgão municipal, que é responsável pela arrecadação do município. No balcão de atendimento, de cada 10 guichês, só cinco funcionam. Ou seja, 50% estão ociosos por falta de pessoal para o atendimento.

Salão lotados, poucos atendentes.

O senhor Hailson Góes, que recebeu sua senha às 10h20, do dia 30 de setembro, para pagamento do IPTU, ainda não tinha sido atendido às 14h45… e, na hora que foi chamado, por um dos guichês, faltou energia elétrica. Antes dele, o senhor Jailson Monteiro, estava lá há mais de 03h00 querendo fazer o pagamento de taxa de recolhimento DAM, para tirar uma Nota Fiscal. Ele disse que está havendo desrespeito com o contribuinte. Aquela era a sua segunda ida à Semef naquele dia. De manhã, ele não suportou o tempo de espera.

Guichês existem, o que não tem é pessoal.

Esse dois casos, é ilustrativo às centenas de outros, que diariamente passam pelo desgastante constrangimento da espera no balcão de atendimento da Semef. Sobre o porque, de tanta demora, um antigo funcionário do órgão informou, que eles estavam “priorizando o tipo de atendimento”, ou seja, designando funcionários para os setores com maior demanda.

Para funcionário, não dá para fazer milagres.

Para o funcionário, que preferiu não se identificar, a Semef está com um déficit de 30% a 40% de mão de obra e, mais 20% a 25% de pessoal que já está em fase de aposentadoria. Hoje, existem em torno de 400 funcionários efetivos e a carência de reforço chega à casa de 200 pessoas. “Não temos como fazer milagre”, admitiu ele.
O último concurso realizado na Semef aconteceu em 1996, a 18 anos atrás. O prefeito Arthur Neto havia garantido que realizaria concurso para a instituição em 2014. Pelo visto, ficou na promessa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui