Feira do Tambaqui de Mamirauá vai até a próxima sexta-feira, 10

Foto: Divulgação

A Fundação Amazônia Sustentável (FAS) e a Associação de Moradores e Usuários da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Mamirauá Antônio Martins (Amurmam) estenderam a Feira do Tambaqui de Mamirauá até a próxima sexta-feira, dia 10 de setembro, ou enquanto durar os estoques. O peixe é oriundo da RDS Mamirauá na região do Médio Solimões, onde não há registros de casos de Rabdomiólise.

O resultado da feira será revertido para mais de 100 pessoas, moradores das comunidades Catiti e Mangueira, ambas na RDS Mamirauá. Entre os beneficiários está Antônia da Silva Fernandes, 34 anos, mãe de cinco filhos e moradora da Comunidade do Mangueira. Dona Antônia, como é conhecida, vivencia todas as etapas do manejo de pesca, pois, segunda ela, as mulheres da comunidade “metem a mão na massa mesmo”:

Foto: Divulgação

“Nós somos um grupo de 30 pescadores à frente do manejo, sendo 10 mulheres que ajudam a vigiar os lagos, colocam madeira, tratam o peixe, ao mesmo tempo que cuidam das casas e dos filhos”.

Todo peixe proveniente das Unidades de Conservação (UCs) carrega consigo a história dos moradores que, ao manejar, estão protegendo a floresta. Antônia não cansa de dizer o quanto a criação da Reserva mudou a vida dos moradores: “Antes da reserva, a gente não via essa fartura de peixes que a gente vê agora, porque tinha muito ilegal nos lagos. Hoje, a gente pôde trazer esses peixes aqui porque a reserva foi criada e o manejo criado”, reforçou.

Foto: Divulgação

“Com a reserva, a vida melhorou muito, a gente tá melhorando nossas casas, nossa moradia, a gente tem geladeira, televisão e podemos dar uma educação melhor para nossos filhos. Segundo a pescadora, o grupo se esforçou muito para trazer o peixe para Manaus: “Foi muito trabalho e uma longa viagem para chegar aqui. Nosso peixe é de qualidade, que a gente se alimenta todos os dias. Então, pode vir comprar que a gente garante a qualidade”.

A Feira 

Os preços são variados por kg: até 4 kg a R$  8/kg, de 4,001 a 5 kg por R$ 10/kg, de 5,001 a 6,999 kg por R$ 13/kg e acima de 7kg R$ 16/kg. Não haverá tratamento de peixe e serão vendidos por inteiro. A venda do tambaqui pela FAS tem autorização do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Amazonas (Sema), com apoio da Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror).

Foto: Divulgação

Rabdomiólise

Em relação aos 52 casos de rabdomiólise, doença caracterizada pela destruição das fibras musculares, que surgiram em alguns municípios do Amazonas (Itacoatiara, Manaus, Autazes, Caapiranga, Silves, Parintins, Borba e Maués) a Fundação de Vigilância Sanitária emitiu uma nota oficial solicitando que  a população de Itacoatiara evite o consumo de alguns peixes (Pirapitinga, Tambaqui e Pacu)  por 15 dias.

A FAS reforça que os peixes que vendidos na Feira são oriundos da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Mamirauá, localizada no Médio Solimões, na região dos rios Solimões e Juruá, que não estão na faixa territorial de incidência dos casos de rabdomiólise.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui