Fornecedores de combustíveis em Humaitá devem explicar possível improbidade administrativa

Foto: Reprodução

A aquisição de combustíveis e derivados pode ter sido feita com improbidade administrativa em Humaitá (a 580 quilômetros de Manaus). Os fornecedores dos produtos para a gestão municipal já foram notificados.

O fato está sendo apurado pelo Ministério Público do Amazonas (MPAM).

O órgão ministerial instaurou Inquérito Civil (IC) para apurar eventual prática de ato de improbidade administrativa, decorrente de fraude em processo licitatório destinado à aquisição de combustíveis e derivados para a Prefeitura de Humaitá. O IC foi instaurado pelo Promotor de Justiça Weslei Machado Alves, titular da 1ª Promotoria de Justiça do município, na terça-feira (17/05), em razão de denúncia referente ao Processo Licitatório n. 1/2021, vencido pela empresa M. M. Soares de Oliveira.

“O MP tomou ciência da situação após a formulação de uma Notícia de Fato feita ao órgão por determinado cidadão do município, com a descrição da ocorrência do fato objeto. O IC foi instaurado em razão da necessidade de se levantar maiores elementos de provas sobre as condutas ímprobas apontadas”, explicou o Promotor de Justiça Weslei Machado Alves.

Os responsáveis pelo forneciemento de combustíveis e derivados para a Prefeitura de Humaitá, Juscineth Jesus Soares de Oliveira, José Clailton, J.C.A. de Oliveira e M. M. Soares de Oliveira, foram notificados. Eles terão 30 dias para apresentar defesa sobre os fatos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui