Amazonas Cidades

Grupo Rouge faz homenagem a fã assassinado junto a tia, em Manaus

Homenagens foram postadas pelo grupo na conta oficial no Twitter - Foto: Divulgação
Redação I
Escrito por Redação I

O grupo pop brasileiro Rouge prestou homenagem a Alexandro Mateus Araújo de Lima, de 31 anos, encontrado morto na noite de terça-feira (4), na casa onde morava, na Zona Centro-Oeste de Manaus. Em sua conta oficial no Twitter, as cantoras lembraram a recepção calorosa do fã na última passagem pela capital.

O crime ocorreu no Conjunto Hileia. Segundo a polícia, um amigo de Alexandro foi até o local após notar a ausência do colega no trabalho e o encontrou em um dos banheiros. A tia dele, Arlete Pereira de Araújo, de 70 anos, também foi achada morta. Os dois estavam despidos e tinham marcas de agressão física.

Em um dos tweets, o grupo reuniu diversas fotos de Alexandro com as integrantes. Nos comentários, conhecidos ressaltaram o amor pelo Rouge e qualidades da vítima. “Eu o conhecia, sempre alegre, carismático e educado! Nunca vi triste sempre com alto astral”, escreveu um deles.

“Acordamos com a tristíssima notícia da violenta morte de um fã muito querido nosso, de Manaus, o Alexandro Mateus. Nos lembramos dele nos recebendo com muito carinho lá no hotel da cidade…certamente Deus o recebeu de braços abertos, como merecia“.

Homenagens foram postadas pelo grupo na conta oficial no Twitter – Foto: Divulgação

Entenda o caso

Tia e sobrinho moravam em uma casa situada na Rua Dez. Os corpos foram encontrados por volta das 18h por um amigo de Alexandro, que foi até o local depois que a vítima não compareceu ao trabalho.

Ao chegar na residência, o rapaz encontrou o local trancado e então decidiu pular o muro. Ele entrou no local e viu rastros de sangue. As vítimas estavam em banheiros diferentes da casa, ambos sem roupa e com diversas marcas de agressão.

A residência estava com os móveis revirados e não apresentava sinais de arrombamento. No banheiro onde Alexandro foi encontrado, a perícia localizou preservativos masculinos usados.

A Polícia Civil investiga o caso e não descarta a hipótese de latrocínio, o roubo seguido de morte.

Fonte: G1

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.