Homem que matou mecânico em 2018 é preso

Foto: Divulgação

Manaus – A Polícia Civil do Amazonas, representada pelos delegados Paulo Martins e Charles Araújo, titular e adjunto, respectivamente, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), falou na manhã desta sexta-feira (1º/2) durante coletiva de imprensa realizada às 11h, no prédio da unidade policial, sobre o cumprimento de mandado de prisão temporária por homicídio qualificado em nome Lucelino da Costa Gordiano, 22, conhecido como “Pimpolho”, autor do homicídio de um mecânico de 37 anos, ocorrido em 2018.De acordo com o delegado Paulo Martins, o infrator estava sendo investigado pela morte do mecânico Antônio Pinto do Nascimento. “Esse crime aconteceu na manhã do dia 21 de outubro do ano passado, na rua Olito Lima, bairro São José Operário, zona leste da cidade. Na ocasião, “Pimpolho”, utilizando uma faca, golpeou a vítima três vezes”, explicou.

Conforme o adjunto da DEHS, após identificaram “Pimpolho” como autor do homicídio, representaram à Justiça o pedido de prisão temporária em nome de Lucelino. A ordem judicial foi expedida pela juíza Andrea Jane Silva de Medeiros, no Plantão Criminal. Ao longo das diligências para localizar o infrator, a equipe da DEHS encontrou o jovem em uma unidade hospitalar na capital.

Foto: Divulgação

“Após Lucelino receber alta médica na manhã de quinta-feira (31/1), efetuamos a prisão dele e o conduzimos à delegacia, onde ele confessou, em depoimento, a autoria do homicídio. O jovem relatou que no dia do crime ele e a vítima estavam alcoolizados,quando se encontraram. Na época, eles tiveram uma discussão e travaram luta corporal. Após a briga, o infrator entrou na casa dele, pegou uma faca, caminhou em direção ao mecânico e, em seguida, desferiu os golpes que causaram a morte de Antônio”, disse Araújo.

Lucelino foi indiciado por homicídio qualificado. Ao término dos procedimentos cabíveis na DEHS, o jovem será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde deverá ficar à disposição da Justiça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui