Índices atuais mostram a importância do Dia da Segurança no Trabalho

Foto: divulgação

Nesta quarta (28), é comemorado o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho. A data foi escolhida porque, no mesmo dia, em 1969, cerca de 70 trabalhadores faleceram após ocorrer uma explosão numa mina, na Virginia (EUA). À época, o cenário era assustador, mas os números atuais mostram que a realidade ainda não está muito diferente.

A cada 3 horas e 40 minutos, um trabalhador morre em decorrência de acidentes em serviço no Brasil. O dado do Ministério Público do Trabalho (MPT) é uma síntese dos números registrados entre 2012 e 2018. De acordo com o órgão, nesse período houve cerca de 17 mil mortes e 4 milhões de acidentes de trabalho.

Os números deixam clara a importância de se pensar ações e medidas preventivas que garantam a saúde e segurança dos colaboradores nas empresas, e é neste contexto que surge a figura do profissional técnico em segurança do trabalho.

Foto: divulgação

“Quem se aventura por essa área estuda diversas disciplinas, desde introdução à segurança, fundamentos da segurança do trabalho, higiene e medicina do trabalho, legislações até prevenção e controle de riscos. A grade curricular é voltada ao aprendizado das principais técnicas e procedimentos da área”, afirma Conceição Lima, professora do curso técnico em segurança no trabalho do Centro de Ensino Técnico (Centec), em Manaus.

Segundo a profissional, o mercado está em alta, e, especialmente no Amazonas, o técnico tem a possibilidade de se desenvolver na Zona Franca de Manaus.

O curso de segurança do trabalho tem duração de um ano e seis meses, somando carga horária de 1.440 horas. O aprendizado é dividido em módulo básico, com ensino de língua portuguesa, ética, dentre outras competências, e módulo específico com as disciplinas diretamente ligadas à área.

Impactos da pandemia

A crise de saúde causada pela covid-19 impactou diretamente o mundo do trabalho, em especial no que diz respeito à segurança e ao bem-estar dos colaboradores. Para Márcio Gonçalves, diretor-geral do Centec, o momento mostra ainda mais a importância dos profissionais que atuam nesse campo.

“Hoje, temos uma crescente muito forte no Polo industrial de Manaus, devido à covid-19, que acomete várias pessoas, inclusive na área ocupacional. Então, há essa necessidade de contratação do profissional mediante o cenário que a gente vive”, afirma ele.

No que diz respeito à saúde, além do técnico em segurança no trabalho, outras áreas correlacionadas ganharam espaço. É o caso da especialização em enfermagem do trabalho.

“Essa opção está disponível para os técnicos de enfermagem formados e permite que o profissional atue para melhorar as estatísticas de saúde dentro das empresas, bem como colaborar em programas de prevenção de acidentes e na realização de campanhas de educação sanitária”, afirma Joaquim Rodrigues, professor da especialização.

Independente de qual formação você irá seguir, Rodrigues abre espaço para uma dica. “A meta é que o interessado na área sempre busque qualificação por meio de cursos profissionalizantes. Aliado a isso, é ideal sempre acompanhar os avanços do mercado”, afirma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui