Juíza ouve médico acusado de mutilar mulheres através de cirurgia plástica

Médico Carlos Jorge Cury Mansilla/Foto: Divulgação

A titular da 11ª Vara Criminal do Fórum Ministro Henock Reis, juíza Eurinete Tribuzzy, está ouvindo nesta terça-feira (29), algumas das vítimas do médico Carlos Jorge Cury Mansilla, acusado de mutilar e lesionar pelo menos 20 mulheres em Manaus.

Uma das vítimas a ser ouvidas foi Emília Alencar, que ficou com a barriga aberta e com bactérias depois de ser operada pelo médico. Outras vítimas do médico, também, estão sendo ouvidas.

O caso acabou ganhando repercussão nacional em setembro de 2013 chegando até ser mostrado no programa Fantástico da Rede Globo. O caso todo só veio à tona depois que foi descoberto que o médico iria trabalhar no programa Mais Médicos em Águas Lindas, Góias, município no entorno do Distrito Federal. Na ocasião, o Ministério da Saúde soube das denúncias e iria investigar a situação.

Médico Carlos Jorge Cury Mansilla/Foto: Divulgação
Médico Carlos Jorge Cury Mansilla/Foto: Divulgação

Ao ser descoberto toda a verdade, o próprio médico assumiu não ter especialidade médica em cirurgia. Mas disse que trabalhou por 28 anos como cirurgião-geral do Hospital Regional de Guajará-Mirim, em Rondônia, onde realizou cerca de 20 mil operações.

Em Manaus, as pacientes de Cury o procuraram para realizar cirurgias estéticas e sofreram sequelas físicas e mentais após se submeterem aos procedimentos cirúrgicos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui