Lewandowski: foi criado o ‘tribunal de exceção’ contra Lula no STF

Maioria do STF decide que anulações das sentenças contra Lula devem ser julgadas pelo plenário – foto: recorte/247

Em sua fala, o ministro Ricardo Lewandowski demonstrou que, quando se trata do ex-presidente Lula, o STF trata o processo de forma diferente.

Após declaração de Lewandowski, que admitiu que os processos contra o ex-presidente são julgados de forma diferente pelo Supremo, a maioria dos ministros confirmou a legitimidade do plenário da Corte para julgar o HC de Lula.

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) definiu nesta quarta-feira (14) a primeira parte do julgamento sobre a anulação das sentenças contra o ex-presidente Lula na Lava Jato, no âmbito da incompetência da 13ª Vara Federal de Curitiba, afirmando que o caso deve sim ser tratado pelo plenário da Corte, e não pela Segunda Turma.

Após uma forte declaração do ministro Ricardo Lewandowski, que admitiu que os processos contra o petista são julgados de forma diferente pelo Supremo, a maioria dos ministros decidiu pelo julgamento em plenário.

Votaram pelo julgamento pelo pleno, de acordo com o relator, ministro Edson Fachin, os ministros Nunes Marques, Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes e Luiz Fux.

Divergiram os ministros Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello.

Brasil 247

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui