Luis Miranda diz que ‘vai botar Onyx Lorenzoni na cadeia’

Luis Miranda reage à fala de Onyx e diz que não será coagido: “vou botar ele na cadeia” - foto: recorte/montagem

“Estou preparando o pedido para que o STF, bem como a CPI, avaliem se as palavras de Onyx não foram palavras claras de ameaça para coagir as testemunhas e com o objetivo de ficarmos calados na CPI”, reagiu o deputado que denunciou o esquema de corrupção na compra da Covaxin.

O deputado Luis Miranda (DEM-DF) reagiu às declarações do secretário-geral Presidência, Onyx Lorenzoni, na noite desta quarta-feira (23), que disse em pronunciamento que o Planalto determinou investigação por denúncia caluniosa e perícia dos documentos entregues a Jair Bolsonaro pelo deputado e seu irmão, servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda.

Em entrevista ao Metrópoles, Luis Miranda classificou as falas de Lorenzoni como “gravíssimas” e com a única intenção de tentar calar tanto ele quanto o irmão. “Ali ficou claro que a intenção dele [Onyx] é de nos coagir para que fiquemos calados e não tenhamos coragem de continuar”, afirmou.

Miranda também afirmou que vai acionar o Supremo Tribunal Federal (STF) e a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 sobre as declarações de Onyx Lorenzoni. “Estou preparando o pedido para que o STF, bem como a CPI, avaliem se as palavras de Onyx não foram palavras claras de ameaça para coagir as testemunhas e com o objetivo de ficarmos calados na CPI. Se for o caso, vamos pedir a prisão dele. Não vou me sentir coagido, não. Vou botar ele na cadeia. Se ele tentar me ameaçar de novo, vou procurar todas as autoridades para que isso aconteça”, reforçou.

Renan: Onyx será convocado à CPI

O senador Renan Calheiros, relator da CPI da Covid, classificou como “criminosas” as declarações do secretário-geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, contra o deputado Luis Miranda, que denunciou o escândalo de corrupção na compra da vacina Covaxin.

Em entrevista à Globonews, Calheiros disse que a fala do ministro “interfere nas investigações” e “coage testemunhas”. “São fatos gravíssimos, que precisam ser apurados, investigados. Uma coisa gravíssima, sobre todos os aspectos. Essa declaração do secretário-geral da Presidência da República é uma declaração criminosa, porque interfere no Poder, interfere na investigação, coage a testemunha. Nós vamos convocá-lo, como consequência de tudo isso, e se ele continuar a coagir a testemunha, nós vamos requisitar a prisão dele. Para que essa gente entenda que é preciso respeitar a instituição da CPI”, afirmou o relator da CPI da Covid.

Brasil 247

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui