Lyoto pede revanche, Belfort desafia e Dana indica novo rival para Weidman

Weidman faz mais uma vítima brasileira/Foto: Getty Images
Weidman faz mais uma vítima brasileira/Foto: Getty Images
Weidman faz mais uma vítima brasileira/Foto: Getty Images

Lyoto Machida ficou muito perto de bater Chris Weidman. O nocaute não chegou, o norte-americano manteve o cinturão dos médios do UFC, mas o eletrizante combate já gerou um “gostinho de quero mais”.

Por parte do brasileiro, como era de se esperar, a expectativa é de uma revanche imediata. Mas a fila deve andar. E Vitor Belfort é quem está de pé na linha, esperando o chamado – que Dana White já indicou estar pronto na coletiva do UFC 175.

“Eu estava com a motivação muito alta, não coloquei foco só no cinturão, mas em uma boa performance. Talvez o Weidman tenha sido melhor que eu, mas gostaria de lutar novamente com ele. Estou feliz com a minha performance, mas sei que vou ficar triste em casa, porque queria o título. Faz parte, vou voltar forte”, disse Lyoto, que tinha a chance de ser apenas o terceiro lutador a conquistar cinturões em duas categorias, após BJ Penn e Randy Couture.

“Vou ver de novo a luta, foi muito dura. Ele me derrubou, teve vantagem em alguns momentos, mas tenho que rever e voltarei melhor. Eu o estudei no primeiro round, que é meu estilo de lutar, mas se eu tivesse sido mais agressivo logo a partir do segundo round, talvez pudesse ter vencido”, analisou ele.

Por outro lado, Belfort já aproveitou para marcar seu espaço. Pouco depois da luta, usou sua conta no Instagram para mandar o desafio em alto e bom tom:

“Agora eu quero o q eu mereço, minha luta pelo título! Não fuja!!! Sem desculpas!!!”, afirmou Belfort, que vem de cinco vitórias e apenas uma derrota desde sua memorável derrota para Anderson Silva.

Belfort aguarda sua chance de conquistar o cinturão dos médios desde que Anderson Silva era o campeão. Como foi derrotado com um chute avassalador no primeiro encontro entre eles, a revanche nunca saiu. Com Chris Weidman no topo, teve de aguardar. Primeiro foi a revanche com o Spider. Depois, chegou a ser confirmado, mas os problemas com a proibição do TRT o tiraram da luta – Lyoto entrou no UFC 175 como seu substituto como desafiante.

Agora, o veterano carioca tem tudo para, enfim, ter seu chamado atendido, até porque lidera o ranking peso médio e não há outros rivais em momento tão bom no Ultimate.

Segundo Dana White, este é o caminho mais natural a se seguir – é claro que Belfort precisa se mostrar integralmente limpo nos exames antidoping até que esta luta aconteça.

O presidente do UFC elogiou Weidman e indicou seu caminho. “Lutar com um cara como Machida, estar invicto… Estas coisas definem um currículo. Eu acho que o próximo passo e o que todos querem ver é uma luta com Vitor Belfort. Então, vamos ver o que acontece com ele e se ele consegue manter seus ‘negócios’ em dia”, afirmou Dana, citando justamente sua novela sobre a reposição hormonal – incluindo a admissão de ter falhado em um exame antidoping surpresa.

Por outro lado, Dana garantiu que Lyoto não será escanteado. “Ele não vai a lugar nenhum. Machida é um dos melhores lutadores do mundo. Agora veremos como as coisas se acertam para definir seus próximos combates.”(UOL)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui