Mais de 3 mil alunos disputam 8ª edição do Jaavas

Foto: Altemar Alcântara / Semcom

A abertura da 8ª edição dos Jogos Adaptados André Vidal de Araújo (Jaavas), realizado nesta quarta-feira, 21/8, no ginásio Ninimberg Guerra, no São Jorge, zona Oeste, foi marcada por muita emoção. Este ano, a competição promovida pela Prefeitura de Manaus contará com a participação de mais de 3 mil alunos da educação especial.

Para a secretária municipal de Educação, Kátia Schweickardt, o Jaavas é a festa da inclusão, um evento muito esperado pelos alunos e familiares. “A inclusão não é apenas garantir uma vaga na rede pública de ensino, vai além disso, ultrapassa os muros da escola. É importante sensibilizar a sociedade que inclusão é garantir todos os direitos da pessoa com deficiência em qualquer momento da vida. Essa também é uma determinação do prefeito Arthur Virgílio Neto e que se torna muito evidente com o Jaavas, onde trabalhamos o esporte como instrumento importante nessa dimensão”, comentou a secretária.

Foto: Altemar Alcântara / Semcom

O evento, coordenado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), abriu oficialmente a programação da rede municipal de ensino em alusão a “Semana Nacional da Pessoa com Deficiência”, realizada até o dia 28/8, com o objetivo de promover debates, bem como colocar a sociedade em reflexão sobre a igualdade e inclusão.

Na cerimônia de abertura, os pelotões das escolas públicas e privadas, além de instituições de Manaus e de municípios do Amazonas, desfilaram pelo ginásio. As mães, que fazem parte do projeto “Mães Especiais” da Semed, também deram um toque especial com uma apresentação de dança. Mas foi a entrada do fogo olímpico que comoveu público presente.

A chama passou pelas mãos dos alunos que fazem parte de programas especiais da prefeitura, até chegar a neta do patrono dos Jogos André Vidal de Araújo, Cláudia Araújo Avelino, que acendeu a pira olímpica. O juramento dos atletas ficou por conta do aluno Henrique Gabriel da Costa.

Foto: Altemar Alcântara / Semcom

Na edição deste ano, participarão mais de 40 escolas das redes pública e privada, com 3,1 mil estudantes com deficiência, que disputarão as modalidades: basquetebol, futsal, atletismo, jogos de piscina, bocha, dama, paraciclismo, goalbol, peteca, boliche, dominó, queimada, tênis de mesa e voleibol sentado.

“O prefeito Arthur Virgílio Neto tem essa preocupação com a inclusão, que é um grande desafio no Brasil, por isso todas as secretarias municipais se unem em um único trabalho. O Jaavas é a demonstração do compromisso com a população de Manaus, para que tenhamos uma cidade muito mais inclusiva. E a Semed desenvolve esse trabalho muito bem, garantido às famílias que os filhos vivam socialmente incluídos”, disse a titular da Secretaria municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), Conceição Sampaio.

Os jogos serão realizados em diversos palcos, como a pista de atletismo da Vila Olímpica, as instalações da Faculdade de Educação Física e Fisioterapia (FEFF) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e a Escola Municipal de Educação Especial (EMEE) André Vidal de Araújo.

Sobre o Jaavas

Desde a criação, em 2012, o Jaavas já atendeu mais de 25 mil pessoas típicas e atípicas. O objetivo do programa é incluir a pessoa com deficiência por meio do esporte e da educação e dar mais qualidade ao processo de ensino e aprendizagem.

Para a coordenadora do Jaavas, Shirley Amaral, o Jogos Adaptados é um compromisso de toda equipe da Semed e das instituições parceiras, que participam de formações de capacitação. “A prefeitura tem a preocupação em oferecer capacitação para os professores que participam do Jaavas e isso faz com que tenham base de como devem trabalhar nas escolas. Nós temos parceria com o Comitê Paralímpico, onde mais de 300 professores receberam capacitação”, relatou emocionada a coordenadora.

Foto: Altemar Alcântara / Semcom

Por sua abrangência, os jogos são reconhecidos como um dos maiores projetos de inclusão da pessoa com deficiência no Brasil e o maior do Amazonas em atendimento da “Semana Nacional da Pessoa com Deficiência”, segundo o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

“É o primeiro ano que meu filho participa, isso faz com que ele interaja com as outras crianças e, assim, se desenvolve mais. Ele fica muito animado e eu estou sempre junto apoiando”, disse a dona de casa, Fabiana Corrêa, mãe do aluno cadeirante, Luís Carlos Corrêa Lima, 16, da Escola Municipal Silvia Helena Bonetti, localizada no Bairro Viver Melhor, zona Norte.

O evento conta com parcerias como a Ufam, Conselho Regional de Educação Física (Cref) e a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Seped).

 

1. As competições Kids seguirão as datas e horários acima, observando o regulamento especifico para a idade;

2. As quadras e ginásios serão identificadas de acordo com a distribuição das modalidades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui