‘Mais Manaus’ promove 38 ações de ampla revitalização no Centro Histórico


Para executar a mais ampla, sustentável e multifocal revitalização no centro histórico da capital, dentro do programa de crescimento econômico e social “Mais Manaus”, lançado pelo prefeito David Almeida, neste mês, a Prefeitura de Manaus tem um plano com 38 ações programadas para os próximos quatro anos de gestão no “Nosso Centro”, um masterplan que detalha especificidades do ambiente, arquitetura, cultura e história.

Nos próximos dois anos, Manaus se transformará em um imenso canteiro de obras, com investimentos superiores a R$ 1,2 bilhão no “Mais Manaus”. O pacote tem como objetivo modernizar a capital amazonense, além de gerar quase 60 mil vagas de empregos, direta e indiretamente.

Nas 38 ações de revitalização para o “Nosso Centro” estão programadas intervenções desde melhorias de mobilidade em logradouros públicos, as “Calçadas Mais Ativas”; requalificação e reforma de quatro praças; reabilitação do antigo Museu do Porto; equipar e colocar em operação o Centro de Arqueologia de Manaus (CAM); ampliação do Café Teatro, como polo atrativo para turistas, artistas e público em geral; e revitalização das feiras da área da Manaus Moderna, assim como do espaço da orla, adequando a avenida Beira-Mar.

 

Foto: Dantas Neto / Semcom

Os trabalhos são concentrados na Comissão Técnica para Implementação e Revitalização do Centro Histórico de Manaus, criada pelo decreto 5.034, que atua na definição de pontos de intervenção para o plano. O “Nosso Centro” tem três grandes eixos, “Mais Vida”, “Mais Negócios” e “Mais História”.

A comissão tem coordenação do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), contando com diretores, gestores e técnicos com expertise no tema, da Secretaria Municipal de Finanças e Tecnologia da Informação (Semef), Secretaria Municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação (Semtepi), e Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

Intervenções

Ainda estão na lista de intervenções a requalificação de diversas vias para priorizar a mobilidade ativa, com resgate de elementos originais de pavimentação de calçadas e das ruas, arborização, acessibilidade, urbanismo tático, iluminação e incentivo à “caminhabilidade”. Entre as ruas e avenidas estão a Getúlio Vargas, Visconde de Mauá, Tamandaré, 7 de Setembro, Henrique Martins e Monteiro de Souza.

Na área de negócios, as ações têm programada uma série de projetos e inovações, com destaque para implementação de incubadoras e aceleradoras de startups e laboratórios; criação do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Município de Manaus; e incentivo a estacionamentos e edifícios-garagem para atender demanda de futuros empreendimentos habitacionais e novos negócios.

São cinco etapas de execução com foco nos eixos comerciais, uso residencial, equipamentos comunitários, edificações, parques e praças.

Para o engenheiro, a equipe montou uma operação para desenvolver projetos conceituais, sustentáveis e criativos para eixos e setores importantes da capital, indo do Centro até o porto da Ceasa, no início da BR-319.

Nosso Centro

O amplo diagnóstico foi feito para o Plano Diretor do Centro, resultado direto das políticas urbanas da Prefeitura de Manaus, sendo parte da primeira fase do Programa de Desenvolvimento Urbano e Inclusão Socioambiental de Manaus (Prourbis), com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Foi a partir deste estudo analítico (físico, histórico, territorial e socioeconômico), sobre informações relevantes e de qualidade das questões urbanas, ambientais, sociais e de serviços para novas abordagens na área, que foi construída parte das ações para os quatro anos de gestão David Almeida.

“O diagnóstico tem diversas nuances para levar vitalidade necessária, como a questão habitacional no Centro para todas as rendas. Hoje, o Centro só funciona de 8h às 19h, e depois toda a infraestrutura, que é uma das melhores da cidade, fica ociosa. A habitação, novos negócios e cultura vão dar ao ambiente mais circulação de pessoas, assim com o uso misto de unidades para serviços e comércios”, explica o arquiteto e urbanista Pedro Paulo Cordeiro, diretor de Planejamento Urbano (Implurb).

Foto: Dantas Neto / Semcom

O “Nosso Centro” tem cinco etapas desde a Ilha de São Vicente até a feira da Manaus Moderna. Foi construído durante cinco meses pela comissão técnica, resultando nas 38 ações para revitalização.

“É um projeto totalmente diferenciado, baseado nas melhores práticas urbanas e sustentáveis, com diversas técnicas de implantação para mobilidade ativa, caminhabilidade, ciclomobilidade e fachadas ativas. As pessoas que se deslocam a pé ou de bicicleta conseguem aproveitar muito mais a cidade”, disse.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui