Manaus participa de Festival Nacional Paralímpico na Arena Amadeu Teixeira

Foto: Marcely Gomes/Semed

Com 150 alunos da Prefeitura de Manaus, atendidos pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), que participam dos Jogos Adaptados André Vidal de Araújo (Jaavas), a capital amazonense está entre as cidades que participaram do Festival Nacional Paralímpico da Loterias Caixa.

As disputas nas modalidades de atletismo, bocha e bedminton, aconteceram na manhã deste sábado, 4/12, na Arena Poliesportiva Amadeu Teixeira, na avenida Constantino Nery, zona Centro-Sul.

Manaus garantiu a vaga após alcançar a meta de alunos com mais participações em jogos esportivos e ficou entre as 70 cidades escolhidas para sediar o evento.

De acordo com a coordenadora técnica do comitê Paralímpico Brasileiro e assessora de educação física adaptada da Semed, Shirley Amaral, essa é uma conquista muito importante para a educação pública de Manaus, que trabalha verdadeiramente a inclusão nas escolas da rede municipal de ensino.

Foto: Marcely Gomes/Semed

“Com o projeto Jaavas, a Semed atende mais de 4 mil pessoas com deficiência e participar desse Festival é uma prova de que incentivamos a prática do esporte nas escolas com os nossos alunos e todos têm oportunidade”, informou Shirley.

O objetivo do evento foi incentivar a participação de Pessoas com Deficiência (PcDs) em esportes paralímpicos. O Festival fez alusão ao Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência e ao Dia do Atleta Paralímpico, comemorados nos dias 21 e 22 setembro, respectivamente, que este ano, devido a pandemia da Covid-19, não foram comemorados de forma presencial.

A diretora do Centro Municipal de Educação Especial (CMEE) Especial André Vidal de Araújo, Reni Formiga, destacou o Festival e também o trabalho de inclusão realizado pela Semed.

Foto: Marcely Gomes/Semed

Festival

As partidas dos jogos aconteceram simultaneamente com estudantes das escolas municipais Maria Leide Amorim, da zona rural, Isabel Victória do Carmo Ribeiro e Antísthenes de Oliveira Pinto, ambas da zona Norte.

A dona de casa Odanlina da Costa tem dois filhos autistas e acompanhou um deles na competição e mencionou a importância de momentos como esses. “Para mim, é muito importante esse tipo de evento, porque o autista vive uma rotina que não é fácil. Tenho dois filhos autistas, um deles está aqui participando, e ver meu filho se desenvolver no esporte é uma emoção muito grande”, disse a mãe emocionada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui