Manaus recebe 35º Congresso de Artes da UNESCO, um dos mais importantes do mundo

José Melo recebe Sheik Mohammede Al-Afhan, em reunião/Foto: Herick Pereira

Melo com a comitiva so sheik Af-Akan e Márcio Souza/Foto: Herick Pereira
Melo com a comitiva so sheik Af-Alfkan e Márcio Souza/Foto: Herick Pereira

Manaus vai sediar, um dos mais importantes eventos de artes no mundo, em 2016. Trata-se do 35º World Congress do Instituto Internacional de Teatro (ITI), da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).
um dos mais importantes eventos de artes no mundo, o congresso acontecerá no mês de junho voltado à formação artística e à apresentação de espetáculos. O 35º World Congress do Instituto Internacional de Teatro (ITI), da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), terá artistas nacionais e estrangeiros à frente de palestras, oficinas, masterclass e debates direcionados à classe artística e  estudantes. Em outra frente, o público amazonense será brindado com a entrada em cartaz de 20 espetáculos brasileiros e internacionais nos teatros da cidade.

Os detalhes do congresso de artes da UNESCO foram discutidos hoje, sexta-feira (12), pelo governador José Melo, em reunião com o presidente do ITI e secretário de Cultura e Comunicação de Fujhara (Emirados Árabe), o sheik Mohammed Sai Al-Afkham, e o presidente do Conselho Municipal de Cultura, o escritor amazonense Márcio Souza, responsável pela organização do evento em Manaus. Com o tema “A Natureza é o nosso palco”, o congresso será realizado com apoio do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos da Prefeitura de Manaus (Manauscult), e da Federação de Teatro do Amazonas (Fetam).

As atividades acadêmicas, que envolvem formação para artistas e estudantes, ocorrerão na sede da Escola de Artes e Turismo da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), onde funcionam os cursos de artes: Teatro, Música, Dança e Audiovisual. Haverá ainda ações nos bairros da periferia com o objetivo de incentivar jovens a ingressarem na carreira artística. Mais de 400 profissionais das artes ligados à UNESCO são esperados para ministrar a programação de formação acadêmica. Os espetáculos que se apresentarão em Manaus durante o congresso serão selecionados pelo ITI por meio de um edital, ainda sem data fechada para divulgação. Aprovados em editais da Secretaria de Cultura e da Manauscult também devem fazer parte da programação.

“É uma honra poder apoiar e receber um evento deste porte em Manaus. Queremos não só ser o palco, mas também costurar parcerias e intercâmbios que beneficiem nossos artistas e estudantes estabelecendo um laço maior e fortalecendo a cultura amazonense”, declarou o governador José Melo.

Presidente do ITI, o sheik árabe Mohammed Sai Al-Afkham afirmou que a realização do congresso no Amazonas é uma oportunidade de artistas de todo o mundo conhecerem a riqueza e a diversidade cultural da região amazônica, com forte herança indígena. O Instituto é considerado a maior organização de artes cênicas do mundo e foi fundado em 1948 por especialistas em teatro e dança e pela UNESCO.

“Entender a cultura dos povos é estar próximo deles. Agradecemos toda essa ajuda prestada para fazermos o congresso. A nossa instituição foi criada depois da segunda guerra e temos o objetivo de conectar as pessoas do mundo inteiro em torno das artes”, afirmou o presidente do ITI.

Rede de escolas de artes cênicas – Uma das propostas com o World Congress da UNESCO é estabelecer uma rede de intercâmbio em escolas de artes cênicas, promovendo maior integração com os cursos de artes brasileiros e abrindo a possibilidade para estudos no exterior. Segundo Márcio Souza, instituições de países como a Suécia, Chipre, Itália e Portugal já manifestaram o interesse de criar parcerias para receber estudantes amazonenses.

“O congresso tem a parte de debates sobre assuntos como liberdade de expressão, perseguição aos artistas e questões políticas que estão ligados ao histórico da ONU. Mas aqui será diferente dos que aconteceram desde 1948, porque terá uma ênfase dada aos jovens que fazem arte: teatro, dança, música, ópera. A maior parte é dedicada à troca de experiências entre jovens, estudantes e artistas”,  disse Souza.

“Virão aqui professores de teatro e artistas, que são professores, para propor uma rede de escolas de artes cênicas para intercâmbio de alunos e professores. A esperança é que a UEA firme convênios com universidades de todo o mundo aproveitando essa oportunidade”, acrescentou o presidente do Conselho Municipal de Cultura.

Outro legado esperado com o evento é fortalecer a estrutura dos teatros em Manaus. Além das salas já mantidas pelo Governo do Estado e Prefeitura de Manaus, outros espaços serão adaptados por instituições como o Serviço Social do Comércio (SESC) e o Ministério da Cultura, afirmou o presidente do Conselho Municipal de Cultura. “A intenção é deixar uma cadeia de 21 salas com qualidade técnica para que os artistas possam fazer temporadas inteiras”, explicou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui