Brasil Esportes Mundo

Marta está fora da estreia da seleção brasileira na Copa da França

Foto: Amanda Kestelman / GloboEsporte.com
Avatar
Escrito por Redação II

Marta está fora da estreia da seleção brasileira na Copa do Mundo Feminina. A craque não conseguiu se recuperar a tempo da lesão que sofreu na coxa esquerda há duas semanas e ficará na torcida contra a Jamaica, neste domingo, às 10h30 (de Brasília), em Grenoble.

O próprio técnico da Seleção, Vadão, confirmou a ausência da camisa 10 em entrevista coletiva neste sábado:

– Ela teve uma evolução muito grande, até acima do que a gente esperava, mas não reúne condições para o primeiro jogo. Pode até ficar conosco torcendo, mas não tem possibilidades de entrar, deixo isso bem claro. A nossa programação é ela não participar desse jogo.

Foto: Amanda Kestelman / GloboEsporte.com

Ou seja, ainda que Marta comece no banco de reservas, será apenas para apoiar o time – a expectativa passará a ser para o jogo contra a Austrália, pela segunda rodada do Grupo F, na quinta-feira.

– Óbvio que se você perde a melhor jogadora do mundo, você perde individualmente uma atleta acima da média, fora de série. Mas a gente sabe que está sujeito a isso. É uma perda considerável falando da qualidade individual da Marta, ela faz várias funções.

Apesar disso, a camisa 10 esteve no reconhecimento do campo com membros da comissão. Com bom humor, brincou ao saber que o técnico Vadão havia confirmado sua ausência minutos antes.

– Jura? Quem sabe eu não entro? – disse.

Ao lado de Vadão esteve a zagueira Mônica, que fará dupla com Kathellen em função do corte da Érika – Daiane a substituiu na lista.

Marta reconhecimento Estádio dos Alpes Grenoble Seleção — Foto: Denise Thomaz Bastos / GloboEsporte.com

Érika foi a terceira baixa da Seleção depois da atacante Adriana, que rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho, e da lateral-direita Fabi Simões, desconvocada após sofrer lesão na coxa direita.

– O futebol é um esporte que a gente sabe que pode acontecer de tudo. Com certeza vamos sentir falta de qualquer baixa, mas o grupo inteiro está preparado e vai lutar por essas jogadoras (…). Existe confiança entre eu e minha companheira. Isso nós temos ali na posição. Se tivermos uma conexão boa, tudo vai funcionar corretamente. O que posso trazer de mais para a Kathellen é informação, ficar à vontade, dar confiança e saber que ela pode contar comigo a qualquer momento – contou Mônica.

– Toda baixa é sentida, até porque você escolhe quem entende que está no melhor momento. Todas as 23 estão aptas a jogar na seleção brasileira – resumiu Vadão.

Fonte: G1

Comentários

comentários

Deixe seu comentário