Menos é mais!!!… – por Maria Ritah

Maria Ritah - foto: divulgação

Amigos, vocês concordam que no momento de crise, a nossa saúde mental é que mais precisa de atenção.

Eu não sei vocês, mas as vezes eu dou uma surtada com tantos pensamentos aleatórios disponíveis na minha mente quase brilhante (lembrei do filme hahaha).

Parece brincadeira mais o assunto é sério.

Estou há duas semanas me programando para colocar em prática a mágica da arrumação, da Marie Kondo, e eu quero começar pelo mais difícil, minhas roupas.

De verdade, eu sou a virginiana mais bagunçada do mundo. No dia em que eu nasci, a ordem devia estar dormindo. Só pode!

Maria Ritah – foto: divulgação

 

Veja bem, eu decidi sair desta pandemia melhor do que eu entrei, então tenho que fazer algumas coisas das quais não estava pronta.

Sempre que olho minhas roupas, penso no tanto de coisas que eu posso me desfazer, mas não faço, pois identifico que tenho uma relação emocional com essas roupas.

Não descarto, porque a tal blusa me lembra aquele evento de corrida que participei e nem uso.

Uma frase da Kondo me pegou de jeito. Ela diz que a gente deve ter em casa apenas objetos que nos dão alegria ou sejam importantes e tenham uso. Se você não usa, descarte!

Ela cita os ensinamentos budistas, e diz que limpar o templo é parte do treinamento budista, mas arrumar, não. Eu nunca tinha pensando nessa diferença de limpeza e arrumação.

Maria Ritah – foto: divulgação

Durante a limpeza, podemos esvaziar a mente, enquanto as mãos movimentam; mas arrumar exige que pensemos sobre o que descartar, o que manter e o que guardar.

Isso me lembra as minhas promessas de ano novo, de ter apenas o necessário, aquela coisa minimalista, entende?

É por isso que eu nunca quis decorar a sala de minha casa. Comprar moveis, entupir de enfeites, nada contra quem gosta. Mas você poder andar numa casa sem trombar com os utensílios, é minha maravilhoso.

Se você realmente reparar, a maioria das pessoas não usam os espaços que tem.

Tenho um amigo que mora num apartamento enorme com varanda goumert, ele me disse que só entrou naquele lugar quando a arquiteta foi entregar a decoração. Eu piro!

Maria Ritah – foto:divulgação

Voce sabia que as pessoas usam apenas 40% do espaço delas, poucos usam a sala de jantar, alguns nem a enorme varanda, mas acham necessário preencher vazios com um monte de coisas que não o precisam.

Imagine uma vida com menos! Menos coisas, menos estresses, menos barulho, mais alegria. Por falar nisso, termino aqui com a dica da Marie Kondo.

Quando for arrumar qualquer coisa pergunte a si mesmo, se esse objeto, roupa ou ferramenta lhe traz alegria. Enquanto decide, toque, pegue e leve ao coração. Se não sentir alegria, descarte!

Essa é a mágica da arrumação.

Passo para vocês!

*Maria Ritah é cronista e ultramaratonista

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui