‘Nepotismo’ chegou à fábrica da Electrolux, no Distrito Industrial do Amazonas

"Trabalhadores do PIM sofrem todo tipo de assédio e prejuízo financeiro", afirma Valdemir Santana - foto: divulgação/Metalúrgicos

Denúncia – o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas, Valdemir Santana, diz que a maior fabricante de ar-condicionado do Brasil, a Electrolux, tem um diretor que pratica ‘nepotismo’ dentro da fábrica do Polo Industrial de Manaus (PIM).

“Ele (o diretor) só promove quem é intimamente ligado ao grupo dele. Tem funcionário que trabalha a mais de 10 e 15 anos na unidade do PIM e não é promovido porque não faz parte das amizades do diretor”, diz ele sem citar o nome do diretor feitor. Por enquanto.

Para o presidente sindical, falta fiscalização do Ministério da Economia, do Ministério do Trabalho, da Suframa e que ele está chamando o Ministério Público do Estado, Governo e Prefeitura para corrigir a “vergonha da exploração do trabalho, nas fábricas do Distrito Industrial Amazonas”.

“As empresas aqui do Estado são dirigidas pelas matrizes de São Paulo, da China, do Japão, da Coréia, com massacre aos trabalhadores no Amazonas. “Falta fiscalização em todos os sentidos. Ninguém fiscaliza nada”, lamenta Valdemir Santana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui