No Egito 26 homossexuais são julgados por depravação em sauna

Sauna one os acusados estariam em depravação/Foto: AFP

Sauna one os acusados estariam em depravação/Foto: AFP
Sauna one os acusados estariam em depravação/Foto: AFP

Um grupo de 26 homens acusados de terem organizado ou participado de “orgias homossexuais” no Egito, foi apresentado ontem, domingo à Justiça, sob acusação de “depravação”, após serem presos em um “hammam” (sauna) do Cairo.
Os detidos, alguns deles chorando, tentavam esconder o rosto, enquanto a polícia os fazia entrar, um a um, na cela que servia de banco dos réus.

“Sou inocente. Juro que estava no ‘hammam’ para um tratamento”, disse um dos acusados a um jornalista da AFP. “Eles nos agridem todos os dias”, relatou outro detido. Os 26 homens foram presos em 7 de dezembro em uma sauna pública do bairro de Azbakeya, no centro do Cairo.

Entre os detidos, estava o proprietário e quatro funcionários do estabelecimento, julgados por “administração de lugar de depravação” e de “incitar e facilitar a depravação”. Os demais são acusados de “depravação e atentado ao pudor”.

O processo, que durou apenas alguns minutos neste domingo, foi adiado até 4 de janeiro.

A sauna foi acusada, publicamente, de ser um lugar de encontro de gays pela estrela da televisão egípcia Mona Iraqi.

A lei egípcia não proíbe formalmente a homossexualidade, mas várias pessoas foram condenadas por “depravação” nos últimos anos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui